Clínicos gerais com 6 anos de exercício vão poder obter grau de MGF

25.05.2015

Projeto de despacho publicado no Boletim de Trabalho e Emprego
Os clínicos gerais que possuam seis anos de exercício efetivo de prestação de cuidados de saúde globais e continuados a inscritos em lista nominativa, e que têm desenvolvido funções próprias da Medicina Geral e Familiar (MGF) vão poder obter, a título excecional, o grau de especialista.

Pelo menos é o que diz o projeto de despacho (http://simuploads.simedicos.pt/075192846.pdf) publicado no Boletim de Trabalho e Emprego. De acordo com o documento, que está agora em apreciação pública, falta ainda aprovar a formação específica extraordinária para que seja atribuído esse grau de especialista em MGF, indicando o documento que esta regulamentação será publicada no prazo de 60 dias após aprovação do despacho.

Para aprovar a formação específica que os clínicos gerais necessitarão para a equiparação, os ministros das Finanças e da Saúde determinam a criação de um grupo de trabalho composto por representantes designados pelas seguintes entidades: Conselho Nacional do Internato Médico (que coordena), Ordem dos Médicos, Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar e Administração Central do Sistema de Saúde.

O Sindicato Independente dos Médicos, que divulga a iniciativa no seu jornal virtual, sublinha que «desde 2011 que os sindicatos médicos tinham este processo negociado com o Ministério da Saúde, apenas não concretizado pelas vicissitudes políticas e legislativas da época» e mostram «alguma preocupação pela não especificação, desde já, em Despacho do programa formativo, pelo esquecimento das unidades ponderadas para as referências à composição quantitativa das Listas de Utentes e pelo ignorar do papel das Coordenações de Internato de MGF».

15ML22a
25 de Maio de 2015
1522Pub2f15ML22A

Publicada originalmente em www.univas.com 

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.