CNECV alerta para «problemas éticos complexos» na manipulação genética de embriões

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 03.02.2016

Parecer publicado no seu site
O Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) considera que a autorização dada pela Comissão de Licenciamento da Autoridade de Fertilização Humana e de Embriologia, do Reino Unido, para a manipulação e modificação genética de embriões «suscita problemas éticos muito complexos».

Numa tomada de posição, o CNECV alerta para o facto de a investigação «implicar a destruição dos referidos embriões humanos, bem como riscos imprevisíveis e potencialmente irreversíveis que a modificação do genoma, se conseguida, poderá ter no pool genético da espécie humana». 

O Conselho Nacional evidencia igualmente que «na ausência de consenso científico sobre as suas consequências, os usos potenciais destas novas tecnologias devem ser abordados com extrema prudência recorrendo a um princípio de precaução que acautele o seu impacto sobre as gerações presentes e futuras».
 
Esta é uma reação que vem na sequência da aprovação de um pedido de uma investigadora do Instituto Francis Crick, com sede em Londres, para a renovação da sua licença de investigação e a inclusão da possibilidade de manipulação ou «edição» de genes em embriões humanos, com recurso ao método Crispr-Cas9, uma técnica que permite modificar com elevada precisão as moléculas de ADN em células vivas. 

O CNECV alerta para o facto de a investigação «implicar a destruição dos referidos embriões humanos, bem como riscos imprevisíveis e potencialmente irreversíveis que a modificação do genoma, se conseguida, poderá ter no pool genético da espécie humana» 

O parecer está disponível para consulta na íntegra aqui

16tm05m
3 de Fevereiro de 2016
1605Pub4f16tm05m

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.