Diabetes «é passível de ser uma patologia prevenível e tratável»

foto de "DR" | 09.11.2016

Dia Mundial da Diabetes assinalado a 14 de novembro
A 14 de novembro assinala-se o Dia Mundial da Diabetes, este ano subordinado ao tema «Olhos na Diabetes», definido pela Federação Internacional da Diabetes, que acredita ser possível viver num mundo sem diabetes, reduzir a mortalidade global e, de forma particular, esta especial complicação – a cegueira por diabetes. 

Álvaro Coelho, coordenador do Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus, da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, sublinha num comunicado que a diabetes é uma epidemia em muitos países e também em Portugal, argumentando, no entanto, que «é passível de ser considerada uma patologia prevenível e tratável». 

O especialista alerta que muitas vezes é o oftalmologista quem faz o diagnóstico da diabetes, considerando que «isso é reflexo do insuficiente investimento que existe nesta área» e sublinhando que «o diagnóstico não deve realizado por força da presença das complicações». 

Álvaro Coelho salienta ainda que «a diabetes é uma entidade complexa e consumidora de enormes recursos, sejam eles sociais, humanos ou mesmo financeiros», acrescentando que «a prevenção é fundamental e é na população em geral e em especial na referenciada “de risco” que se deve centrar o cuidado com a saúde e evitar as situações indutoras de doença».

De acordo com o médico, os critérios de diagnóstico atuais são também insuficientes para um diagnóstico precoce, em tempo útil, de forma a evitar a evolução da doença e o surgimento das suas complicações. «Um maior investimento na medicina de proximidade (medicina familiar) e numa educação para a saúde, evitaria inúmeras perdas e mesmo consumos hospitalares», evidencia.

A 14 de novembro assinala-se o Dia Mundial da Diabetes, este ano subordinado ao tema «Olhos na Diabetes», definido pela Federação Internacional da Diabetes, que acredita ser possível viver num mundo sem diabetes, reduzir a mortalidade global e, de forma particular, esta especial complicação – a cegueira por diabetes 

Por fim, Álvaro Coelho salienta que «a Medicina Interna está empenhada em dar o seu contributo no pretendido combate a esta epidemia, como é testemunhado pelo conjunto de atividades em que se encontra envolvida por todo o País através deste Núcleo de estudos». 

Mais informações aqui


16tm45L
09 de Novembro de 2016
1645Pub4f16tm45L

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.