Taxa de incidência de diabetes cresce 4,29% ao ano 

foto de "DR" | 30.11.2016

Estudo do Insa publicado na revista «Primary Care Diabetes»
Entre 1992 e 2015, a taxa de incidência de diabetes apresentou um crescimento médio anual de 4,29%, revela um estudo do Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge (Insa), com base em dados da Rede Médicos Sentinela (MS), publicado na revista Primary Care Diabetes.

Por outro lado, foi registada uma mudança de padrão relativamente ao sexo. Até 1998–2000, a taxa de incidência anual de diabetes era superior nas mulheres e, a partir de 1998–2000 a 2013-2015 passou a ser mais elevada nos homens.

Já em relação à taxa de incidência para 2022–2024, os autores do estudo intitulado «Tendências da taxa de Incidência de Diabetes entre 1992 e 2015 e projeções para 2024: Um Estudo da Rede Médicos Sentinela», estimam que esta seja de «972,77 por 100 mil utentes no total, e 846,74 e 1114,42 por 100 mil utentes, respetivamente, em mulheres e homens».

Os autores do primeiro estudo em Portugal a descrever a evolução da taxa de incidência durante um período de 23 anos e a projetar a taxa de incidência anual de diabetes, referem que estas projeções poderão verificar-se se não forem implementadas, no futuro, estratégias adicionais de prevenção desta doença.

«Na verdade, afigura-se importante o desenvolvimento de estratégias mais efetivas de Saúde Pública neste âmbito, designadamente, através da atuação nos principais fatores de risco para a diabetes mellitus em Portugal», sublinham.

Tanto as tendências anuais, como as projeções deste trabalho, foram estimadas através de modelos de regressão de Poisson com estratificação por sexo e grupo etário. A taxa de incidência observada e projetada foi ajustada para a distribuição anual da população residente em Portugal.

Recorde-se que a Rede de Médicos Sentinela é um sistema de informação em saúde formado por médicos de Medicina Geral e Familiar que voluntariamente participam na notificação e estudo de diversos problemas com interesse para a saúde pública.

Esta Rede foi formada em 1989 e conta com a participação de cerca de 115 médicos de família (especialistas e médicos internos) distribuídos por todo o país.

Entre 1992 e 2015, a taxa de incidência de diabetes apresentou um crescimento médio anual de 4,29%, revela um estudo do Insa, com base em dados da Rede Médicos Sentinela, publicado na revista Primary Care Diabetes 

O artigo pode ser consultado aqui

16tm48L
30 de Novembro de 2016
1648Pub4f16tm48L

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.