ARS propõe separação do Centro Hospitalar do Algarve

foto de "DR" | 02.12.2016

Decisão do Ministério da Saúde deverá ser tomada até ao fim do ano
A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve vai propor ao ministro da Saúde a separação do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), decisão que deverá ser tomada até ao final do ano. 

«Por proposta da ARS do Algarve, vai ser exposta à consideração do sr. ministro a possibilidade de separação dos dois hospitais [Faro e Portimão]», disse João Moura Reis, à Lusa, adiantando que a entidade a que preside está já a concluir um estudo nesse sentido.

Segundo aquele responsável, a criação do CHA, em 2013, pelo anterior Governo, «foi um erro» e a metodologia utilizada «não funcionou», o que conduziu à «inoperacionalidade de gestão» dos dois hospitais.

«Foi uma forma precipitada de união, sem haver bases, e ao mesmo tempo, de uma cultura única, quando a individualidade aqui é muito presente», referiu, sublinhando que os dois hospitais têm características distintas e servem populações diferentes.

De acordo com João Moura Reis, a proposta, que deverá ser apresentada à tutela «em breve», já tem vindo a ser debatida com o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, que se prevê que tome uma posição até ao final do ano.
Ao que a Lusa apurou, o estudo aponta para a continuidade do modelo conjunto dos hospitais de Lagos e de Portimão e a cisão entre estes e o Hospital de Faro.

O Centro Hospitalar do Algarve (CHA) entrou formalmente em funcionamento a 1 julho de 2013, ficando com a competência de gestão dos hospitais públicos do Algarve, na sequência da extinção do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio e do Hospital de Faro.

Aprovada em Conselho de Ministros em abril desse ano, a criação do CHA foi justificada, na altura, pela ARS do Algarve, como um «instrumento para otimizar a gestão das unidades de saúde e permitir uma resposta aos crónicos constrangimentos de recursos humanos».

«Por proposta da ARS do Algarve, vai ser exposta à consideração do sr. ministro a possibilidade de separação dos dois hospitais [Faro e Portimão]», disse João Moura Reis, à Lusa, adiantando que a entidade a que preside está já a concluir um estudo nesse sentido

Recorde-se que em fevereiro deste ano, o ministério da Saúde já tinha anunciado que estava em curso um estudo sobre a reorganização do Serviço Nacional de Saúde no Algarve.

16tm48S
02 de Dezembro de 2016
1648Pub6f16tm48S

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.