Governo vai regulamentar a exposição a campos magnéticos, elétricos e eletromagnéticos

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 22.02.2017

Grupo de trabalho vai apresentar relatório até 30 de abril
O Governo criou o Grupo de Trabalho para os Campos Eletromagnéticos, que tem como objetivo regulamentar as restrições básicas e os níveis de referência da exposição humana a campos magnéticos, elétricos e eletromagnéticos, tendo como base as conclusões mais atuais do meio científico sobre o tema.

O despacho, dos ministérios da Saúde e da Economia, salienta ser «prioritária a proteção do público», bem como que «o desenvolvimento do sistema elétrico nacional seja baseado numa sustentável coexistência com as comunidades locais, e numa confiança mútua entre estas e os concessionários das infraestruturas».

Artur Filipe Schouten Patuleia (gabinete do secretário de Estado da Energia), Pedro Rosário (Direção-Geral da Saúde), Jorge Esteves (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos), Maria José Espírito Santo (Direção-Geral de Energia e Geologia) e Nobumitsu Shohoji (Laboratório Nacional de Energia e Geologia) são os elementos que vão integrar este grupo, que tem como missão elaborar um anteprojeto de decreto-lei que fixe as restrições básicas e os níveis de referência para exposição do público, considerando as orientações científicas mais atuais, e as melhores práticas europeias.

O Governo adverte ainda que a regulamentação dos níveis de exposição «deve comportar patamares especialmente prudentes» no caso das unidades de saúde: quaisquer estabelecimentos de ensino ou afins, como creches ou jardins-de-infância; lares da terceira idade, asilos e afins; parques e zonas de recreio infantil; edifícios residenciais e espaços; e instalações e equipamentos desportivos».

O Governo criou o Grupo de Trabalho para os Campos Eletromagnéticos, que tem como objetivo regulamentar as restrições básicas e os níveis de referência da exposição humana a campos magnéticos, elétricos e eletromagnéticos, tendo como base as conclusões mais atuais do meio científico sobre o tema 

O grupo de trabalho tem até 30 de abril para apresenta um relatório com as suas propostas.

O despacho está disponível aqui


17tm08j
22 de Fevereiro de 2017
1708Pub4f17tm08J

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Acordo entre FMUL e Fundação Champalimaud reforça laços existentes

O diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Fausto Pinto, e a presidente da Fundaç...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Daniel Ferro nomeado presidente do CHULN

O ex-presidente da administração do Hospital Garcia de Orta, Daniel Ferro, vai liderar o conselho de...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 É ilegal recusar tratar doentes que não autorizam o tratamento de dados pe...

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) considerou ilegal a recusa de prestação de cuidados...

16.05.2019

Dados de listas de espera envergonham o país, diz Ordem dos Médicos

A Ordem dos Médicos (OM) classificou esta quarta-feira como «desastrosos» os dados revelados pela En...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 Convenção Nacional da Saúde 2019 decorre a 18 de junho

 A edição de 2019 da Convenção Nacional de Saúde (CNS) vai ter lugar no próximo dia 18 de junho, no...

15.05.2019

Tempos de espera para cirurgias mais do que duplicaram

Quase 40% das consultas hospitalares a pedido dos cuidados de saúde primários (CSP) não foram realiz...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.