Portugal e Espanha juntam-se em projeto contra Alzheimer e cancro

09.08.2017

Programa IBEROS terá a duração de 27 meses
São cerca de 150 investigadores portugueses e espanhóis que integram o projeto IBEROS, que visa criar soluções de biotecnologia focadas no diagnóstico e no tratamento de doenças associadas ao envelhecimento, como o Alzheimer, o Parkinson ou o cancro.

O objetivo principal desta iniciativa, liderada pela Universidade de Vigo, em Espanha, passa por «potenciar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, dirigida a um envelhecimento saudável», disse à agência Lusa Goreti Sales, coordenadora do BioMark/Sensor Research, centro de investigação do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), um dos parceiros do projeto.

Constituído por oito universidades da Galiza e do Norte de Portugal, o programa terá a duração de 27 meses, período no qual os envolvidos vão procurar responder a alguns dos principais problemas de saúde decorrentes do avançar da idade, como dificuldades de locomoção, degeneração neurológica e distúrbios no sistema vascular.

De acordo com a investigadora, o BioMark/Sensor Research vai colaborar no contexto dos biomateriais e da nanotecnologia, área na qual se tem vindo a especializar, tendo como foco o desenvolvimento de novos dispositivos para o diagnóstico do cancro, das doenças cardiovasculares e do Alzheimer.

«O desenvolvimento científico e a melhoria dos cuidados de saúde têm feito aumentar a esperança média de vida», tendência que tem «sido acompanhada pelo aumento das patologias associadas à idade», salienta o ISEP, numa nota informativa sobre o projeto.

Embora a bioengenharia seja uma área científica «relativamente recente», tem «um potencial imenso de aplicabilidade na saúde individual e coletiva», disponibilizando próteses e implantes, eletrónica aplicada à monitorização de pacientes, telemedicina ou tratamento de imagens médicas para diagnóstico, lê-se ainda no comunicado.

São cerca de 150 investigadores portugueses e espanhóis que integram o projeto IBEROS, que visa criar soluções de biotecnologia focadas no diagnóstico e no tratamento de doenças associadas ao envelhecimento, como o Alzheimer, o Parkinson ou o cancro

O IBEROS, financiado em cerca de dois milhões de euros pelo Programa Intererreg 2014-2020, que promove a cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha, conta ainda com a colaboração da Universidade do Minho, da Universidade Católica Portuguesa, do Instituto de Investigações Marítimas de Vigo, do Instituto de Investigação Biomédica da Corunha, da Universidade de Santiago de Compostela e do Instituto de Engenharia Biomédica.

17tm33i
09 de Agosto de 2017
1733Pub4f17tm33i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

20.10.2017

O último dia de Francisco George na liderança da Direção-Geral da Saúde

Ao fim de 44 anos, Francisco George abandona, esta sexta-feira, o serviço público, despedindo-se com...

20.10.2017

SNS britânico vai deixar de operar quem não perca peso ou deixe de fumar

Deixar de fumar e perder peso serão duas condições que o Serviço Nacional de Saúde da região britâni...

20.10.2017

«Projeto Incluir» 

O Infarmed criou o «Projeto Incluir», um instrumento que pretende alargar a interação de doentes/ass...

20.10.2017

OM estreia voto eletrónico nas eleições para Colégios de Especialidade

A Ordem dos Médicos (OM) vai implementar, pela primeira vez, o sistema de voto eletrónico num ato el...

19.10.2017

«Seja mais rápido que um AVC»

Este ano, a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular elegeu a atividade física como tema central da...

19.10.2017

Scimed - Ciência Baseada na Evidência

João Júlio Cerqueira, um jovem médico que em 2015 venceu o Prémio João Cordeiro – Inovação em Farmác...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.