UE atribui 35 milhões de euros a novo tratamento para combater o glioblastoma

10.08.2017

Usado novo método NanoTherm
A União Europeia (UE) atribuiu 35 milhões de euros do «Plano Junker» de investimentos ao desenvolvimento de um novo tratamento para pessoas com o cancro no cérebro mais agressivo, o glioblastoma.
O método centra-se na terapêutica local de tumores sólidos, informou o executivo comunitário em conferência de Imprensa.
O Banco Europeu de Investimentos (BEI) e a empresa alemã de dispositivos médicos MagForce assinaram nesta quarta-feira um acordo de financiamento que permitirá à empresa obter apoios até 35 milhões de euros nos próximos três anos, desde que se cumpram objetivos acordados.

A empresa desenvolveu a terapia NanoTherm, que consiste em introduzir nanopartículas magnéticas diretamente num tumor e aquecê-las num campo magnético alternado.

Dependendo da duração do tratamento e das temperaturas alcançadas dentro do tumor, as células tumorais ficam danificadas de maneira irreparável ou sensibilizadas para uma quimioterapia ou radioterapia adicional.

O método permite combater o tumor a partir do seu interior e evita danificar o tecido saudável que o rodeia, precisou a Comissão Europeia, acrescentando que os efeitos secundários são significativamente mais reduzidos do que nos tratamentos convencionais atualmente utilizados.

De acordo com a Comissão já há doentes a serem tratados desta forma com êxito na Alemanha.

O acordo com a empresa alemã foi possível graças ao Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos, o pilar central do Plano de Investimentos para a Europa, conhecido como «Plano Juncker», do presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker.

A terapia NanoTherm consiste em introduzir nanopartículas magnéticas diretamente num tumor e aquecê-las num campo magnético alternado 

«O empréstimo irá melhorar significativamente a nossa situação financeira e ajudar-nos a implementar a terapia NanoTherm em toda a Europa», disse em comunicado o diretor geral da Magforce, Ben Lipps.

17tm33O
10 de Agosto de 2017
1733Pub5f17tm33O

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

17.10.2017

Há portugueses que não sabem o que são os cuidados paliativos

Mais de 90% dos portugueses sabem o que são os cuidados paliativos, contudo 6,6% associa o conceito...

17.10.2017

Sal no pão vai diminuir gradualmente até 2018

Entre 2018 e 2021 vai haver uma diminuição gradual do sal no pão.<br /> Este é pelo menos o objetiv...

17.10.2017

Fumo branco na negociação com os enfermeiros

Foi fumo branco que saiu da mais recente reunião do Governo com os enfermeiros.<br /> O braço de fe...

16.10.2017

Empresas de dispositivos impedidas de aumentar preços

Em 2018, a Indústria Farmacêutica terá de continuar o seu esforço de contribuição para a redução dos...

16.10.2017

Depois do açúcar, surgem as taxas para o sal

Os alimentos como batatas fritas, bolachas ou cereais que tenham um elevado teor de sal vão passar a...

16.10.2017

Dívida dos hospitais à IF volta a agravar-se em agosto

 Em agosto, a dívida global dos hospitais públicos à indústria farmacêutica (IF) ultrapassou os três...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.