Bloquear uma enzima chave pode reverter a perda de memória

foto de "DR" | 11.08.2017

Estudo sugere uma nova abordagem para o desenvolvimento de tratamentos para a doença de Alzheimer
Cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sugerem uma nova abordagem para criar novas terapias para a doença de Alzheimer, podendo constituir um dos maiores avanços da ciência dos últimos anos.

No cérebro de um doente com Alzheimer muitos dos genes utilizados para criar novas memórias são «desligados» por um bloqueio genético, originando o conhecido declínio cognitivo nos pacientes com esta patologia neurodegenerativa.

Mas, agora, um estudo publicado na revista Cells Reports, garante que poderá ser possível quebrar esses bloqueios genéticos no cérebro ao travar a enzima responsável por esse procedimento castrador.

A perda de memória acontece quando a enzima HCAC2 comprime os genes cerebrais da memória, até que estes se tornam inúteis, produzindo a incapacidade de reter memórias e provocando o esquecimento das aprendizagens já adquiridas.

Os investigadores do MIT conseguiram bloquear, com sucesso, a ação da enzima HCAC2 sem afetar outras enzimas a partir da utilização de luzes LED e, a partir daí, reverter a perda de memória.

A indústria farmacêutica já o tinha conseguido fazer com recurso a moléculas químicas, mas não conseguiu evitar os efeitos secundários tóxicos, afastando a hipótese de criar assim uma alternativa terapêutica.

Esta nova técnica foi testada apenas em ratos, mas a principal autora do estudo, Li-Huei Tsai, diz que pode ser eficaz e reverter os efeitos da doença também em seres humanos. 

Um estudo garante que poderá ser possível quebrar os bloqueios genéticos no cérebro ao travar a enzima responsável por esse procedimento castrador 

«É emocionante porque, pela primeira vez, encontramos um mecanismo específico através do qual a HDAC2 regula a expressão de genes sinápticos», salienta Tsai.

17tm33T
11 de Agosto de 2017
1733Pub6f17tm33T

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

23.02.2018

«Mais do que discursos, queremos é ações»

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) anunciou esta quinta-feira, em conferência de Imprensa...

23.02.2018

Estudo divulga os antidepressivos mais e menos eficazes

Colocando um «ponto final» no cetipcismo em torno dos antidepressivos, um estudo liderado pela Unive...

23.02.2018

Criado e-mail para receber denúncias sobre as deficiências do SNS

A Ordem dos Médicos (OM) entregou esta quinta-feira, na Comissão Parlamentar de Saúde (CPS), uma car...

23.02.2018

Quatro canais de televisão unem-se em campanha do Governo sobre riscos do a...

O humorista Herman José, a atriz Joana Solnado e o ator Lourenço Ortigão aceitaram o desafio de part...

por Teresa Mendes | 22.02.2018

Nomeada nova diretora executiva do Plano Nacional da Saúde

Maria de Fátima Quitério, assistente graduada da carreira médica de saúde pública, do mapa de pessoa...

22.02.2018

Processo para abrir concurso para 700 jovens médicos está nas Finanças

Após ter dito em janeiro que os concursos para os mais de 700 médicos recém-especialistas iam ser ab...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.