Governo tenta acalmar os ânimos na saúde

foto de "DR" | 12.09.2017

Costa reúne com ministro da Saúde
O primeiro-ministro reuniu-se esta segunda-feira com o ministro da Saúde, devido à greve dos enfermeiros. Fonte do gabinete de António Costa disse à Renascença que o encontro, no final do final do Conselho Ministros extraordinário, serviu para preparar a reunião agendada para hoje, entre Adalberto Campos Fernandes e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), que não aderiu à greve.

António Costa tinha uma ação de campanha autárquica marcada para Arruda dos Vinhos, mas cancelou para se encontrar com o ministro da Saúde.

Recorde-se que os enfermeiros iniciaram esta segunda-feira uma greve de cinco dias, convocada pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE).

A paralisação teve uma adesão de cerca de 85% no final do segundo turno (15h00), segundo o presidente do SE, José Azevedo.

De acordo com este dirigente sindical, alguns hospitais registam uma adesão de 100%, como São João (Porto), e outros pararam a sua atividade, nomeadamente programada, devido ao protesto.

«Se a OM concordar com as reivindicações obviamente que apoiará os médicos que decidirem aderir a greve»

Também com a greve a «pairar» no setor médico, o Presidente da República recebeu a Ordem dos Médicos (OM) nesta segunda-feira.

O bastonário, Miguel Guimarães, acompanhado pelos presidentes dos conselhos regionais do Norte e do Centro e o vice-presidente do CR Sul, disse à saída da reunião que a grande conclusão da conversa foi a necessidade de «investir mais na saúde», para que o país recupere algumas perdas, sobretudo nos últimos quatro anos.

O encontro, no final do final do Conselho Ministros extraordinário, serviu para preparar a reunião agendada para hoje, entre Adalberto Campos Fernandes e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), que não aderiu à greve

Sobre um eventual apoio à ameaça de paralisação por parte dos médicos, o dirigente   afirmou que «os médicos têm muitos motivos para poderem aderir a uma greve que seja convocada pelos sindicatos» e que «se a Ordem dos Médicos concordar com as reivindicações obviamente que apoiará os médicos que decidirem aderir a greve».

17tm39G
12 de Setembro de 2017
1739Pub3f17tm39G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

18.09.2017

Esperança média de vida aumenta mais do que o esperado em Portugal

<br /> Portugal é um dos países que mais aumentaram a esperança média de vida, mais até do que seri...

18.09.2017

Cancro de cabeça e pescoço: Mais de 50% dos doentes são diagnosticados tard...

Começa hoje, dia 18 de setembro, a 5.ª Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço,...

18.09.2017

OM convoca reuniões gerais de médicos em todo o país

É já amanhã, dia 19, pelas 21h00, no Conselho Regional do Sul, em Lisboa, a primeira das reuniões ge...

15.09.2017

Hospitais CUF vão ter novas idoneidades formativas

A José de Mello Saúde (JMS) tem em curso «novos pedidos de idoneidade formativa dos hospitais CUF, e...

15.09.2017

Hospital de São João faz reconstrução inovadora em Portugal

Uma equipa de cirurgiões plásticos do Serviço de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética do Hosp...

14.09.2017

Abertas as candidaturas ao 37.º Programa de Intercâmbio HOPE 2018

Estão abertas, até 31 de outubro de 2017, as candidaturas ao 37.º Programa de Intercâmbio HOPE 2018,...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.