«Quando as pequenas coisas fazem a grande diferença»

14.09.2017

Campanha da Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas
A Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL) tem em curso até ao final de setembro a campanha «Quando as pequenas coisas fazem a grande diferença», que tem como objetivo explicar as características das doenças do sangue que surgem na população mais idosa.

Criada há 16 anos, e desde 2014 Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), esta Associação já apoiou nos últimos três anos «cerca de 500 doentes», pretendendo agora com esta iniciativa chegar a mais portugueses.

A campanha, que decorre no âmbito do Dia Internacional do Linfoma, dia 15 de setembro, visa combater o facto de a «maior parte das pessoas não saber o que é um linfoma», salienta a presidente da APLL, Isabel Barbosa, num comunicado à Imprensa.

Em Portugal, «a maior parte das pessoas sabe o que é a leucemia, mas desconhece o que é o linfoma, que é só a doença de sangue mais frequente», acrescentou.

Caracterizada pelo «surgimento de células anormais – linfócitos – que levam ao aparecimento de gânglios aumentados, principalmente nas axilas, pescoço e virilhas», a doença continua, segundo Isabel Barbosa, «a ser motivo de confusão para as pessoas».

Com o envelhecimento da população portuguesa, a especialista prevê mesmo o surgimento de «cada vez mais casos de linfomas e mielomas, doenças de sangue que atacam pessoas de idade mais avançada».
«No caso dos linfomas há, por ano, entre 1700 e 2000 novos casos em Portugal», revelou Isabel Barbosa, informando haver «mais de 60 subtipos de linfomas» e que esse é um detalhe «muito importante para poder determinar o tratamento».

Prestando apoio social, nas áreas da psicologia e apoio económico aos doentes mais carenciados e referenciados pelas assistentes sociais dos hospitais, a APLL «ajuda-os na aquisição, entre outros, de medicamentos, produtos de higiene, próteses dentárias e óculos», disse a presidente.

«Nos últimos três anos, ajudámos cerca de 500 doentes nos quatro meses após terem saído do hospital», relatou a responsável da associação que conta com 30 voluntários e mais de um milhar de associados.

No âmbito do Mês das Doenças Malignas do Sangue, a APLL vai desenvolver até ao final de setembro outras atividades, entre elas a apresentação do livro “«Somos todos heróis», com testemunhos de 50 pessoas que superaram doenças do sangue, uma exposição fotográfica itinerante, denominada «Sempre em forma», e a renovação do seu site.

A Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL) tem em curso até ao final de setembro a campanha «Quando as pequenas coisas fazem a grande diferença», que tem como objetivo explicar as características das doenças do sangue que surgem na população mais idosa 

No âmbito da campanha em curso, a APLL está também a pedir na rede social Facebook uma fotografia com uma frase sobre «que pequena coisa fez alterar a sua vida».

Todas as informações aqui 

17tm39M
14 de Setembro de 2017
1739Pub5f17tm39M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 20.07.2018

Maioria dos médicos manifesta apoio aos chefes demissionários do Hospital d...

São já 157 os médicos da Urgência do Hospital de São José, em Lisboa, que assinaram uma carta em apo...

20.07.2018

Médicos sem especialidade podem vir a reforçar INEM

Os médicos que não conseguiram a especialidade por falta de vaga podem vir a reforçar o Instituto Na...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Secretária de Estado da Saúde «lança» projeto Exames Sem Papel

A partir de agosto será feita a massificação da desmaterialização do processo de requisição de meios...

19.07.2018

  Pacotes vão ter menos açúcar em 2020

A partir janeiro de 2020 vão deixar de ser produzidas doses individuais de açúcar que excedam os qua...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Doentes com acesso a canábis medicinal nas farmácias a partir de agosto

A Assembleia da República (AR) publicou esta quarta-feira, a Lei que regula a utilização de medicame...

por Teresa Mendes | 18.07.2018

Doentes paliativos passam a ter direitos consagrados na Lei

As pessoas em contexto de doença avançada e em fim de vida passam a ter direitos consagrados na legi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.