Lisboa e Vale do Tejo proporcionou quase 20 mil consultas de saúde oral

14.09.2017

Balanço do primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos CSP
No primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários, promovido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) foram realizadas 19.505 consultas de saúde oral, informa aquele organismo.

A iniciativa integrou 11 centros de saúde, com um total de 12 médicos dentistas a trabalhar.

Num comunicado à Imprensa, a presidente do Conselho Diretivo da ARSLVT, Rosa Valente de Matos, congratula todos os profissionais pelos «resultados muito positivos alcançados neste primeiro ano de atividade». 

«O projeto-piloto, que alargaremos progressivamente a outras unidades da ARSLVT, é um excelente exemplo dos cuidados de proximidade que queremos prestar aos nossos utentes, sobretudo os mais vulneráveis», sublinha a responsável.

Nos primeiros três meses do projeto, até dezembro de 2016, foram abrangidos os doentes portadores de diabetes, neoplasias, patologia cardíaca ou respiratória crónica, insuficiência renal em hemodiálise ou diálise peritoneal e transplantados.
Desde o início deste ano, todos os utentes destes locais passaram a poder ser referenciados para consultas de medicina dentária.

Para o segundo ano de atividade está previsto o alargamento do projeto a mais 12 centros de saúde (CS) da ARSLVT.

No primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários, promovido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo foram realizadas 19.505 consultas de saúde oral

Atualmente, integram a iniciativa Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários o Agrupamento de Centros de Saúde (Aces) Almada-Seixal (Unidade de Saúde Familiar Monte da Caparica), o Aces Oeste Sul (CS de Mafra-Ericeira e CS da Lourinhã), o Aces Estuário do Tejo (CS de Alenquer, CS de Arruda dos Vinhos, CS da Azambuja), o Aces Lezíria (CS de Rio Maior, CS do Cartaxo e CS de Salvaterra de Magos), o Aces Arco Ribeirinho (CS da Moita) e o Aces Médio Tejo (CS de Fátima).

17tm39N
14 de Setembro de 2017
1739Pub5f17tm39N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 20.07.2018

Maioria dos médicos manifesta apoio aos chefes demissionários do Hospital d...

São já 157 os médicos da Urgência do Hospital de São José, em Lisboa, que assinaram uma carta em apo...

20.07.2018

Médicos sem especialidade podem vir a reforçar INEM

Os médicos que não conseguiram a especialidade por falta de vaga podem vir a reforçar o Instituto Na...

20.07.2018

Trinta e cinco recém-especialistas da região Centro denunciam contexto insu...

Um grupo de 35 recém-especialistas de Medicina Geral e Familiar (MGF) da região Centro alerta para a...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Secretária de Estado da Saúde «lança» projeto Exames Sem Papel

A partir de agosto será feita a massificação da desmaterialização do processo de requisição de meios...

19.07.2018

  Pacotes vão ter menos açúcar em 2020

A partir janeiro de 2020 vão deixar de ser produzidas doses individuais de açúcar que excedam os qua...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Doentes com acesso a canábis medicinal nas farmácias a partir de agosto

A Assembleia da República (AR) publicou esta quarta-feira, a Lei que regula a utilização de medicame...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.