Lisboa e Vale do Tejo proporcionou quase 20 mil consultas de saúde oral

14.09.2017

Balanço do primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos CSP
No primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários, promovido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) foram realizadas 19.505 consultas de saúde oral, informa aquele organismo.

A iniciativa integrou 11 centros de saúde, com um total de 12 médicos dentistas a trabalhar.

Num comunicado à Imprensa, a presidente do Conselho Diretivo da ARSLVT, Rosa Valente de Matos, congratula todos os profissionais pelos «resultados muito positivos alcançados neste primeiro ano de atividade». 

«O projeto-piloto, que alargaremos progressivamente a outras unidades da ARSLVT, é um excelente exemplo dos cuidados de proximidade que queremos prestar aos nossos utentes, sobretudo os mais vulneráveis», sublinha a responsável.

Nos primeiros três meses do projeto, até dezembro de 2016, foram abrangidos os doentes portadores de diabetes, neoplasias, patologia cardíaca ou respiratória crónica, insuficiência renal em hemodiálise ou diálise peritoneal e transplantados.
Desde o início deste ano, todos os utentes destes locais passaram a poder ser referenciados para consultas de medicina dentária.

Para o segundo ano de atividade está previsto o alargamento do projeto a mais 12 centros de saúde (CS) da ARSLVT.

No primeiro ano do projeto-piloto dos Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários, promovido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo foram realizadas 19.505 consultas de saúde oral

Atualmente, integram a iniciativa Cuidados de Saúde Oral nos Cuidados de Saúde Primários o Agrupamento de Centros de Saúde (Aces) Almada-Seixal (Unidade de Saúde Familiar Monte da Caparica), o Aces Oeste Sul (CS de Mafra-Ericeira e CS da Lourinhã), o Aces Estuário do Tejo (CS de Alenquer, CS de Arruda dos Vinhos, CS da Azambuja), o Aces Lezíria (CS de Rio Maior, CS do Cartaxo e CS de Salvaterra de Magos), o Aces Arco Ribeirinho (CS da Moita) e o Aces Médio Tejo (CS de Fátima).

17tm39N
14 de Setembro de 2017
1739Pub5f17tm39N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.01.2018

Bastonário ameaça retirar idoneidade formativa ao Departamento de Tórax do...

A Ordem dos Médicos anunciou que vai realizar uma auditoria ao Departamento de Tórax do Centro Hospi...

15.01.2018

Enfermeiros com CIT vão ter regras iguais às da Função Pública a partir de...

Os cerca de 11 mil enfermeiros com Contrato Individual de Trabalho (CIT) vão cumprir, a partir de ju...

15.01.2018

Cerca de 200 médicos especialistas já desistiram de esperar por concursos

Pelo menos 200 dos cerca de 700 médicos que concluíram a especialidade em abril e outubro já saíram...

15.01.2018

Infarmed aprovou 60 medicamentos inovadores em 2017

No dia em que se assinala o 25.º aniversário do Infarmed, o organismo informa que, em 2017, aprovou...

12.01.2018

Canábis: Projetos baixam à CPS sem votação

Os projetos de lei para a utilização terapêutica da canábis do BE e do PAN, em discussão esta quinta...

12.01.2018

«Onde está o Wally, senhor primeiro-ministro?»

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) critica o primeiro-ministro por não saber qual o número real...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.