Trabalho suplementar aumentou 5,4% no SNS

por Teresa Mendes | 10.10.2017

Maiores aumentos ocorreram nos centros hospitalares de Lisboa Norte, de São João e do Porto
Entre 2014 e 2016 foi registado um aumento progressivo do volume de horas de trabalho suplementar no Serviço Nacional de Saúde (SNS). No total, em 2016 foram feitas mais 556.581 horas extras, uma subida de 5,4% relativamente a 2015.
Os maiores aumentos ocorreram em hospitais de grande dimensão, como os centros hospitalares de Lisboa Norte, de São João e do Porto.

Estes são dados do Relatório Social do Ministério da Saúde e do SNS de 2016, um documento que contém os indicadores mais relevantes sobre Recursos Humanos e a sua evolução.

Especificamente em termos de volume de horas de trabalho suplementar realizado pelo pessoal médico, as entidades que registaram maior crescimento face a 2015, foram o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (+14.944 horas), o Centro Hospitalar S. João (+14.268), o Centro Hospitalar Lisboa Norte (+11.883) e a Unidade Local de Saúde da Guarda (+6.184).

As cinco especialidades que apresentaram uma maior subida face a 2015 foram a Medicina Interna (+31.838), a Imunohemoterapia (+18.212), a Neurorradiologia (+17.060), a Neurocirurgia (+17.012) e a Angiologia e Cirurgia Vascular (+12.199).

As cinco especialidades que apresentaram uma maior subida do volume de horas extra foram a Medicina Interna, a Imunohemoterapia, a Neurorradiologia, a Neurocirurgia e a Angiologia e Cirurgia Vascular 

Recorde-se que neste período de análise do relatório, os médicos estavam sujeitos a um corte de 50% no valor pago por hora extraordinária.

17tm43G
10 de Outubro de 2017
1743Pub3f17tm43G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

12.12.2017

Cerimónia de Homenagem a Maria Odette Santos-Ferreira

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) vai homenagear Maria Odette Santos-Ferreira...

12.12.2017

Excesso de peso na adolescência aumenta risco cardiovascular no futuro

Um estudo, que mostrou que o excesso de peso na adolescência aumenta o risco cardiovascular em adult...

por Teresa Mendes | 12.12.2017

Criado grupo com 27 elementos para avaliar a deslocalização do Infarmed

São 27 as personalidades, entre médicos, farmacêuticos, professores universitários e economistas, qu...

11.12.2017

OMS lança Observatório Global de Demências 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que os atuais 50 milhões de doentes com demências aument...

11.12.2017

Infarmed celebra 25 anos 

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) vai assinalar o seu 25.º aniversário numa cerimónia...

11.12.2017

Bastonário apela a «revisão urgente das carreiras médicas»

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, apela ao Ministério da Saúde que faça uma...

11.12.2017

 Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social vai «avaliar a situação» da Raríssimas e...

07.12.2017

Professores da FMUL vencem Prémios Neurociências Santa Casa 2017

Os prémios Neurociências Santa Casa 2017 destacaram dois professores da Faculdade de Medicina da Uni...

07.12.2017

«Queremos ser claramente a melhor central de compras na Europa»

«Queremos ser claramente a melhor central de compras na Europa», afirmou Henrique Martins, president...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.