Doentes com melanoma avançado: Combinação de Epacadostat com Keytruda® permite durabilidade da resposta

19.10.2017

Dados atualizados apresentados no Congresso da ESMO
O inibidor de enzima seletivo IDO1 da Incyte, em combinação com Keytruda® (pembrolizumab), a terapia anti-PD-1 da MSD, permite a durabilidade da resposta nos doentes com melanoma avançado, segundo dados atualizados do ensaio clínico ECHO-202 (KEYNOTE-037) de Fase ½, apresentados no Congresso da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO), em Madrid, Espanha.

A população do estudo incluiu doentes com melanoma avançado, sem e com tratamento prévio, cujos dados demonstraram uma taxa de resposta global (ORR) de 56% (n=35/63) em doentes tratados com a combinação. Segundo um comunicado à Imprensa, a mediana de sobrevivência livre de progressão (PFS) foi de 12,4 meses, com uma taxa de PFS de 65% em seis meses, 52% em 12 meses e 49% em 18 meses. 

Os resultados foram, na generalidade, consistentes entre os esquemas de dosagem de epacadostat em combinação com Keytruda, incluindo epacadostat de 100 mg BID, a dose de epacadostat estudada na Fase 3 do ensaio ECHO-301. Os resultados foram apresentados no Congresso da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO) de 2017, em Madrid, Espanha.

O inibidor de enzima seletivo IDO1 da Incyte, em combinação com Keytruda® (pembrolizumab), a terapia anti-PD-1 da MSD, permite a durabilidade da resposta nos doentes com melanoma avançado, segundo dados atualizados do ensaio clínico ECHO-202 (KEYNOTE-037) de Fase ½, apresentados no Congresso da ESMO

«Os resultados atualizados do ensaio ECHO-202 apoiam as descobertas publicadas anteriormente e continuam a sugerir que a nova combinação de imunoterapia e epacadostat tem potencial para oferecer um perfil de eficácia e de segurança favoráveis para o tratamento de doentes com melanoma avançado», afirmou Omid Hamid, M.D, chefe de investigação e de Imuno-Onocologia Translacional e diretor de Terapêuticas de Melanoma, no Instituto Angeles Clinic and Research, na Califórnia. 

17tm44N
19 de Outubro de 2017
1744Pub5f17tm44N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.