Novo juramento dos médicos contempla respeito pela autonomia do doente

02.11.2017

Declaração de Genebra consagra ainda a preocupação com o burnout
A Associação Médica Mundial reviu pela sexta vez a Declaração de Genebra, e, pela primeira vez, o juramento dos médicos consagra o respeito pela autonomia do doente ou a preocupação com o burnout. 

Recorde-se que desde o final dos anos 40, esta declaração passou a ser o texto mais usado pelos jovens médicos que terminam o curso.

«Respeitarei a autonomia e a dignidade do meu doente», pode ler-se no novo texto da Declaração de Genebra, que passa igualmente a refletir as alterações das últimas décadas na relação entre os médicos e os seus doentes, mas também entre os próprios clínicos, impondo uma relação de partilha de informação e reciprocidade. 

É também novo o cuidado com o burnout, introduzindo a ideia de que os médicos têm de cuidar de si, para prestarem cuidados de maior qualidade. 

A nova Declaração de Genebra :

«Como membro da profissão médica:
- Prometo solenemente consagrar a minha vida ao serviço da humanidade;
- Prometo solenemente consagrar a minha vida ao serviço da humanidade;
- A saúde e o bem-estar do meu doente serão as minhas primeiras preocupações;
- Respeitarei a autonomia e a dignidade do meu doente;
- Guardarei o máximo respeito pela vida humana;
- Não permitirei que considerações sobre idade, doença ou deficiência, crença religiosa, origem étnica, sexo, nacionalidade, filiação política, raça, orientação sexual, estatuto social ou qualquer outro fator se interponham entre o meu dever e o meu doente;
- Respeitarei os segredos que me forem confiados, mesmo após a morte do doente;
- Exercerei a minha profissão com consciência e dignidade e de acordo com as boas práticas médicas;
- Fomentarei a honra e as nobres tradições da profissão médica;
- Guardarei respeito e gratidão aos meus mestres, colegas e alunos pelo que lhes é devido;
- Partilharei os meus conhecimentos médicos em benefício dos doentes e da melhoria dos cuidados de saúde;
- Cuidarei da minha saúde, bem-estar e capacidades para prestar cuidados da maior qualidade;
- Não usarei os meus conhecimentos médicos para violar direitos humanos e liberdades civis, mesmo sob ameaça;
Faço estas promessas solenemente, livremente e sob palavra de honra». 

A Associação Médica Mundial reviu pela sexta vez a Declaração de Genebra, e, pela primeira vez, o juramento dos médicos consagra o respeito pela autonomia do doente ou a preocupação com o burnout 

17tm46K
02 de Novembro de 2017
1746Pub5f17tm46K

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.05.2019

 Número de pessoas que morre sem cuidados paliativos pode duplicar em 2060

 O número de pessoas que morre sem acesso a cuidados paliativos pode duplicar em 2060.<br /> Segund...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Unidades de saúde mental forense não prisionais vão ter equipa clínica mult...

As unidades de saúde mental forense não prisionais vão passar a ter formalmente uma equipa clínica m...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Ordem cria Gabinete Nacional de Apoio ao Médico

Os médicos em burnout podem recorrer, a partir de hoje, dia 24 de maio, a um gabinete de apoio criad...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Palco será dado a quem vive a realidade da dor crónica de perto

O próximo dia 31 de maio será um dia de reflexão, onde o palco será dado a quem vive a realidade da...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

O  ciclo de vida do medicamento explicado aos jovens

O Infarmed produziu um vídeo dirigido aos jovens, onde explica as etapas do ciclo de vida do medicam...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

 Governo vai impulsionar criação de USF em contextos complexos 

O Governo está determinado a apoiar e impulsionar a criação de Unidades de Saúde Familiar (USF) em c...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.