Jorge Simões contradiz Miguel Guimarães

10.11.2017

«É falso» que tenha afirmado que o SNS precisa de profissionais não médicos para realizar atos médic
O presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Jorge Simões, quebrou o silêncio e, num comunicado, afiança que nunca iniciou qualquer discussão técnica sobre o tema das competências profissionais, considerando que o bastonário da Ordem dos Médicos devia discutir o assunto a nível interno.

Numa informação enviada à Lusa, Jorge Simões diz que a reação de Miguel Guimarães o «surpreendeu» e que «é falso» que tenha afirmado que o Serviço Nacional de Saúde precisa de profissionais não médicos para realizar atos médicos.

«É falso que eu tenha iniciado no CNS, ou fora dele, qualquer discussão técnica sobre o tema das competências profissionais», refere no comunicado.

Segundo o presidente do CNS, as ideias que transmitiu «já fazem o seu percurso há décadas» em Portugal, dando vários exemplos que identificavam o «skill-mix como um dos grandes desafios para as instituições e serviços de saúde».

Jorge Simões justifica ainda que o Tribunal de Contas, numa auditoria em 2014, salientou «os ganhos potenciais da valorização do tempo médico, canalizando-o para a realização de consultas, libertando os profissionais médicos de tarefas administrativas e de outras tarefas em que possam ser substituídos por outros profissionais de saúde».

O responsável considera ainda, uma vez que Miguel Guimarães faz parte do CNS, que «o assunto devia ter sido discutido a nível interno».

Num comunicado, Jorge Simões diz que a reação de Miguel Guimarães o «surpreendeu» e que «é falso» que tenha afirmado que o Serviço Nacional de Saúde precisa de profissionais não médicos para realizar atos médicos 

«Seria curial um contacto no sentido de pedir explicações, ou no sentido de pedir a convocação de uma reunião do CNS para tratar deste assunto, ou qualquer outra iniciativa que não fragilizasse um órgão que está agora a dar os primeiros passos», defendeu.

17tm47R
10 de Novembro de 2017
1747Pub6f17tm47R

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 20.07.2018

Maioria dos médicos manifesta apoio aos chefes demissionários do Hospital d...

São já 157 os médicos da Urgência do Hospital de São José, em Lisboa, que assinaram uma carta em apo...

20.07.2018

Médicos sem especialidade podem vir a reforçar INEM

Os médicos que não conseguiram a especialidade por falta de vaga podem vir a reforçar o Instituto Na...

20.07.2018

Trinta e cinco recém-especialistas da região Centro denunciam contexto insu...

Um grupo de 35 recém-especialistas de Medicina Geral e Familiar (MGF) da região Centro alerta para a...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Secretária de Estado da Saúde «lança» projeto Exames Sem Papel

A partir de agosto será feita a massificação da desmaterialização do processo de requisição de meios...

19.07.2018

  Pacotes vão ter menos açúcar em 2020

A partir janeiro de 2020 vão deixar de ser produzidas doses individuais de açúcar que excedam os qua...

por Teresa Mendes | 19.07.2018

Doentes com acesso a canábis medicinal nas farmácias a partir de agosto

A Assembleia da República (AR) publicou esta quarta-feira, a Lei que regula a utilização de medicame...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.