Em Portugal, «morre-se mal, sem afeto e sem compaixão»

06.12.2017

Alerta do presidente do CNECV, Jorge Soares
Em Portugal, como em muitos países desenvolvidos, «morre-se mal, sem afeto e compaixão», afirmou o presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV), Jorge Soares, na sessão inaugural do seminário de encerramento do ciclo de debates «Decidir sobre o final da vida», que decorreu esta terça-feira, na Fundação Champalimaud, em Lisboa.

Para o responsável, «é tempo de promover uma reflexão sobre a compaixão», lembrando que «não se alivia o sofrimento sem empatia ou compaixão», por mais evolução que haja na medicina e ao nível científico.

Jorge Soares salientou igualmente a importância dos cuidados paliativos, frisando que em Portugal chegam a «uma fração pequena de pessoas».

Projetos sobre morte assistida Entretanto, recorde-se que o Bloco de Esquerda (BE) apresentou, em fevereiro, o seu anteprojeto que permite as duas formas de morte assistida, a eutanásia e o suicídio assistido, admitindo a sua realização em estabelecimentos de saúde oficiais e em casa do doente.

Agora, passado este ciclo de debates sobre o final da vida que decorreu por todo o país, o partido promete apresentar o projeto no primeiro trimestre de 2018.

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), com um deputado, foi o primeiro a apresentar um projeto de lei sobre a morte assistida e o Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) também anunciou uma iniciativa neste sentido.

«Não se alivia o sofrimento sem empatia ou compaixão», por mais evolução que haja na medicina e ao nível científico, alertou Jorge Soares 

Um grupo de deputados do PS tem o acordo da direção do partido para apresentar uma iniciativa ou apoiar uma das já existentes ou a apresentar.

O PSD já decidiu dar liberdade de voto, apesar de prometer uma posição oficial e admitir todos os cenários, incluindo o do referendo.
O CDS-PP é contra.

17tm51J
06 de Dezembro de 2017
1751Pub4f17tm51J

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

12.12.2017

Cerimónia de Homenagem a Maria Odette Santos-Ferreira

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL) vai homenagear Maria Odette Santos-Ferreira...

12.12.2017

Excesso de peso na adolescência aumenta risco cardiovascular no futuro

Um estudo, que mostrou que o excesso de peso na adolescência aumenta o risco cardiovascular em adult...

por Teresa Mendes | 12.12.2017

Criado grupo com 27 elementos para avaliar a deslocalização do Infarmed

São 27 as personalidades, entre médicos, farmacêuticos, professores universitários e economistas, qu...

11.12.2017

OMS lança Observatório Global de Demências 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que os atuais 50 milhões de doentes com demências aument...

11.12.2017

Infarmed celebra 25 anos 

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) vai assinalar o seu 25.º aniversário numa cerimónia...

11.12.2017

Bastonário apela a «revisão urgente das carreiras médicas»

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, apela ao Ministério da Saúde que faça uma...

11.12.2017

 Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social vai «avaliar a situação» da Raríssimas e...

07.12.2017

Professores da FMUL vencem Prémios Neurociências Santa Casa 2017

Os prémios Neurociências Santa Casa 2017 destacaram dois professores da Faculdade de Medicina da Uni...

07.12.2017

«Queremos ser claramente a melhor central de compras na Europa»

«Queremos ser claramente a melhor central de compras na Europa», afirmou Henrique Martins, president...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.