Quase 8 em cada 100 doentes internados adquire infeção hospitalar

por Teresa Mendes | 15.12.2017

Mais de um quarto dos profissionais de saúde ainda não aderiu à higienização das mãos
Em cada 100 doentes internados em Portugal, 7,8 adquiriram uma infeção associada aos cuidados de saúde, uma taxa superior à média europeia, mas que, mesmo assim, representa uma descida de 2,7% em relação a 2012, revela o relatório do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA) referente a 2016, apresentado esta sexta-feira no Porto.

Relativamente à higienização das mãos, que de acordo com o documento é «a medida mais eficaz, mais simples e mais económica de prevenir as infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS)», mais de um quarto dos profissionais de saúde ainda não aderiu à medida.
Apesar de tudo, esta é uma prática que tem vindo a aumentar de forma gradual, mais de um quarto dos profissionais de saúde não aderem à higiene das mãos.

Segundo o relatório, ainda em 2016 iniciou-se a monitorização do uso de luvas pelos profissionais de saúde nas diversas unidades de saúde, «à qual aderiram 74 instituições, das quais 39% correspondem a hospitais públicos».

Por outro lado, os autores destacam os resultados positivos ao nível da pneumonia associada à intubação, que desceu 36,6% entre 2008 e 2016, nas bacteriemias relacionadas com cateter intravascular central (menos 57,1% nos últimos oito anos) e por ‘staphylococcus aureus’ resistentes à meticilina (MRSA) e na infeção de prótese de joelho e de cólon e reto.

Em relação à percentagem de MRSA, conhecida como «superbactéria», esta tem vindo a diminuir desde 2011 (54,6%), situando-se nos 43,6% em 2016 (menos 20%). 

«As grandes razões para esta descida, terão por base, não só a implementação e alargamento do PPCIRA a todas as unidades de saúde, mas também a implementação da norma do MRSA, da Estratégia Multimodal de Promoção das PBCI, implementação do Programa de Apoio à Prescrição Antibiótica (PAPA) com redução de quinolonas/carbapenemos», lê-se no documento.

Já a ‘Klebsiella pneumoniae’, um agente comum nas infeções de trato urinário, respiratório e da corrente sanguínea, registou um aumento de 73% em 2016, em relação ao ano anterior.

Em relação ao consumo de antibióticos – expresso em doses diárias definidas por mil habitantes por dia (DHD) – este tem-se mantido «abaixo da média da União Europeia, quer na comunidade, quer nos hospitais».

Quanto ao consumo global de antibacterianos em Portugal nos cuidados de saúde primários, este mantém-se num nível ainda elevado (21,6%), apesar de abaixo da média da Europa (21,9%)”, revela ainda o relatório.

Sobre o consumo de antibacterianos por classes nos hospitais em Portugal e na Europa, salientam-se as penicilinas, seguido das cefalosporinas/outros betalactâmicos, dos macrólidos, lincosamidas e estreptograminas e das quinolonas, seguido das cefalosporinas e outras classes.

Em cada 100 doentes internados em Portugal, 7,8 adquiriram uma infeção associada aos cuidados de saúde, uma taxa superior à média europeia, mas que, mesmo assim, representa uma descida de 2,7% em relação a 2012

Para 2020, os autores pretendem reduzir o consumo de antibióticos na comunidade para um valor abaixo das 19 doses diárias por 1000 habitantes.

Manter a prevalência de ‘Klebsiella pneumoniae’ resistente aos carbapenemos, em isolados invasivos, abaixo de 6% e reduzir para menos de 8% as infeções hospitalares são outras das metas. 

Outro objetivo definido é reduzir para menos de 10% as infeções nas Unidades de Cuidados Continuados Integrados (UCCI).


17tm52R
15 de Dezembro de 2017
1752Pub6f17tm52R

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

21.05.2019

Há mais 60 mil portugueses sem médico de família desde o início de 2019

Desde o início deste ano que aumentou o número de portugueses sem médico de família. No final de 201...

21.05.2019

APMGF defende criação de mais 30 USF por ano

Criar mais 30 unidades de saúde familiar (USF) por ano em Portugal é uma das medidas do Projeto-Beta...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

«NBM in Ambulatory Surgery»  em destaque  no 13.º Congresso Internacional d...

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto vai receber, entre os dias 27 e 29 de maio, o 13.º Cong...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

1.º Barómetro da Adoção da Telessaúde e de Inteligência Artificial

Os resultados da primeira edição do Barómetro da Adoção da Telessaúde e de Inteligência Artificial,...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.