Pediatras do Hospital Pedro Hispano entregam abaixo-assinado declinando responsabilidade por quaisquer falhas

10.01.2018

Especialistas denunciam falta de condições mínimas de trabalho
Os nove pediatras do Hospital Pedro Hispano entregaram um abaixo-assinado à direção clínica da Unidade Local de Saúde de Matosinhos, declinando responsabilidade sobre quaisquer falhas que possam ocorrer na sua prática clínica em virtude das más condições de trabalho a que são sujeitos.

«Consideramos não estarem reunidas as condições mínimas necessárias à adequada prestação de cuidados aos utentes da Urgência Pediátrica Integrada do Porto e, como tal, refutamos a responsabilidade por eventuais erros ou omissões ocorridas durante a prestação dos mesmos», lê-se no abaixo-assinado.

Em causa estão os vários problemas de funcionamento da Urgência Pediátrica do Porto, não só no que diz respeito a questões organizativas, como também quanto à falta de recursos humanos.

Segundo o Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que divulgou o documento, estas situações foram já reiteradamente denunciadas às chefias hierárquicas e até mesmo à Ordem dos Médicos, sem que nada se alterasse.

No que diz respeito aos recursos humanos, «a composição da equipa é altamente deficitária - dos 13 elementos que deviam ser escalados (tendo em conta a média de atendimentos anual) há autorização para escalar apenas 9 (com reforço de mais 1 elemento de dezembro a março e menos 1 elemento de 15 de julho a 15 de setembro)», diz o sindicato. 

Os nove pediatras do Hospital Pedro Hispano entregaram um abaixo-assinado à direção clínica da Unidade Local de Saúde de Matosinhos, declinando responsabilidade sobre quaisquer falhas que possam ocorrer na sua prática clínica em virtude das más condições de trabalho a que são sujeitos 

Para além disso, «também não é tida em conta a diferenciação dos elementos» da equipa, que deveria ser composta com pelo menos 50% de especialistas ou internos do 5.º ano, segundo o parecer do Colégio da Especialidade, acrescenta o SIM.

O abaixo-assinado pode ser consultado aqui


18tm02i
10 de Janeiro de 2018
1802Pub4f18tm02i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.01.2018

Bastonário ameaça retirar idoneidade formativa ao Departamento de Tórax do...

A Ordem dos Médicos anunciou que vai realizar uma auditoria ao Departamento de Tórax do Centro Hospi...

15.01.2018

Enfermeiros com CIT vão ter regras iguais às da Função Pública a partir de...

Os cerca de 11 mil enfermeiros com Contrato Individual de Trabalho (CIT) vão cumprir, a partir de ju...

15.01.2018

Infarmed aprovou 60 medicamentos inovadores em 2017

No dia em que se assinala o 25.º aniversário do Infarmed, o organismo informa que, em 2017, aprovou...

12.01.2018

Canábis: Projetos baixam à CPS sem votação

Os projetos de lei para a utilização terapêutica da canábis do BE e do PAN, em discussão esta quinta...

12.01.2018

«Onde está o Wally, senhor primeiro-ministro?»

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) critica o primeiro-ministro por não saber qual o número real...

por Teresa Mendes | 12.01.2018

Estado passa a comparticipar novos sensores de glicose em 85%

Entra hoje em vigor a portaria que estabelece um custo máximo de 53 euros e uma comparticipação de 8...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.