Canábis: Projetos baixam à CPS sem votação

12.01.2018

PCP contra o auto cultivo da planta
Os projetos de lei para a utilização terapêutica da canábis do BE e do PAN, em discussão esta quinta-feira no Parlamento, baixaram à Comissão Parlamentar de Saúde (CPS), sem que tenha havido votação.
O objetivo foi evitar o chumbo imediato pela soma dos votos do PSD, CDS e PCP.
Esta discussão na especialidade vai durar dois meses.

Recorde-se que os comunistas são a favor do uso terapêutico da canábis, mas discordam dos projetos do BE e do PAN porque estes preveem o auto cultivo de canábis.
Para o PCP, bem como para o PEV, esta é uma forma «encapotada» de abrir caminho à legalização do comércio da canábis também para uso recreativo.

Os projetos de lei para a utilização terapêutica da canábis do BE e do PAN, em discussão esta quinta-feira no Parlamento, baixaram à Comissão Parlamentar de Saúde, sem que tenha havido votação 

O PSD anunciou, também ontem, que vai apresentar um diploma próprio, que não prevê o auto cultivo da planta.

18tm02S
12 de Janeiro de 2018
1802Pub6f18tm02S

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.01.2018

Bastonário ameaça retirar idoneidade formativa ao Departamento de Tórax do...

A Ordem dos Médicos anunciou que vai realizar uma auditoria ao Departamento de Tórax do Centro Hospi...

15.01.2018

Enfermeiros com CIT vão ter regras iguais às da Função Pública a partir de...

Os cerca de 11 mil enfermeiros com Contrato Individual de Trabalho (CIT) vão cumprir, a partir de ju...

15.01.2018

Cerca de 200 médicos especialistas já desistiram de esperar por concursos

Pelo menos 200 dos cerca de 700 médicos que concluíram a especialidade em abril e outubro já saíram...

15.01.2018

Infarmed aprovou 60 medicamentos inovadores em 2017

No dia em que se assinala o 25.º aniversário do Infarmed, o organismo informa que, em 2017, aprovou...

12.01.2018

«Onde está o Wally, senhor primeiro-ministro?»

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) critica o primeiro-ministro por não saber qual o número real...

por Teresa Mendes | 12.01.2018

Estado passa a comparticipar novos sensores de glicose em 85%

Entra hoje em vigor a portaria que estabelece um custo máximo de 53 euros e uma comparticipação de 8...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.