Rácio de endividamento do SNS atingiu os 95%

por Teresa Mendes | 08.02.2018

Auditoria à Conta Consolidada do Ministério da Saúde
A Conta Consolidada do Serviço Nacional de Saúde (SNS) «ainda não atingiu um estádio que assegure que as demonstrações financeiras consolidadas expressam, de forma verdadeira e apropriada, a situação económico-financeira do Ministério da Saúde», diz o Tribunal de Contas numa auditoria aos anos de 2015 e 2016.

De acordo com o relatório, publicado esta quinta-feira, esta situação justifica-se pelo facto de «o equilíbrio das demonstrações financeiras ser assegurado através de ‘plug accounts’ (incorporam diferenças de conciliação materialmente relevantes entre entidades do perímetro)».

Segundo o TC, no final de 2016, os Fundos Próprios do Ministério da Saúde totalizam 851,2 milhões de euros, dos quais cerca de metade (51%, 436,7 milhões) são da ADSE. 

«Face a 2014 (1.340,4 milhões), nota-se uma diminuição dos Fundos Próprios do Ministério da Saúde de 489,2 milhões (-36,5%), não obstante o impacto positivo da integração da ADSE no perímetro de consolidação de contas do Ministério da Saúde em 2015», sublinham os auditores, revelando ainda que, em sentido contrário, «o Passivo do Ministério da Saúde aumentou, em particular as dívidas a fornecedores e outros credores do Ministério da Saúde que subiram 38,9%, passando de 1761,5 milhões em 2014 para 2446,6 milhões em 2016 (+ 685,1 milhões)».

«A situação económico-financeira do Serviço Nacional de Saúde degradou-se de 2014 para 2016, tendo o rácio de endividamento atingido os 95% no final de 2016, refletindo a dependência do SNS das dívidas a fornecedores», alerta o TC 

Em suma, conclui o documento, «a situação económico-financeira do Serviço Nacional de Saúde degradou-se de 2014 para 2016, tendo o rácio de endividamento atingido os 95% no final de 2016, refletindo a dependência do SNS das dívidas a fornecedores».

A auditoria pode ser consultada na íntegra, aqui

18tm06Q
08 de Fevereiro de 2018
1806Pub5f18tm06Q

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 EPE estavam em falência técnica no ano passado

Em 2018, metade dos hospitais EPE do país encontrava-se em falência técnica, segundo uma análise do...

06.12.2019

Chefes de cirurgia de Faro recusam fazer urgências a partir de 1 de janeiro

A partir de 1 de janeiro de 2020, os chefes de equipa de Cirurgia do Hospital de Faro vão deixar de...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 Sarampo matou mais de 140 mil pessoas no mundo em 2018

Em 2018, o sarampo foi responsável pela morte de mais de 140.000 pessoas, segundo novas estimativas...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros»

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros, nomeadamente tabaco aquecido. Apre...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

ADSE passa a ser tutelada pelo Ministério da Administração Pública

A ADSE já não é da tutela do Ministério da Saúde. Segundo o regime da organização e funcionamento do...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Reduzir o colesterol mais cedo pode diminuir risco cardiovascular mais tar...

Reduzir os níveis de colesterol com medicamentos em pessoas com menos de 45 anos pode reduzir o risc...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.