Parlamento Europeu quer acabar com a mudança da hora

por Teresa Mendes | 09.02.2018

Alterações provocam disrupções no biorritmo humano
O Parlamento Europeu (PE) apelou à Comissão Europeia para que seja reconsiderada a mudança da hora, uma prática que tem décadas de existência e que, segundo os deputados, pode ser prejudicial para a saúde humana.
A resolução nesse sentido foi aprovada esta quinta-feira pelo PE, que recomenda também a adoção de um regime horário unificado na Europa.

O objetivo passa, de acordo com a notícia avançada pela agência Bloomberg, por «evitar diferentes práticas nos países europeus que coloquem em causa o mercado único dos serviços de transporte, comunicações e comércio» e evitar problemas de saúde.

Recorde-se que normalmente os relógios são adiantados uma hora em março, voltando a ser atrasados em outubro, uma prática que tem muitos anos de existência e que tem como objetivo maximizar o aproveitamento da luz do dia.

Esta recomendação do PE, que não é vinculativa, tem por base um estudo publicado em outubro de 2017, que conclui que apesar do horário de verão ser benéfico para a indústria dos transportes, aumentar o potencial das atividades de lazer fora de casa e reduzir o consumo de energia, o mesmo «está associado a disrupções no biorritmo humano».

A Comissão Europeia ainda não respondeu de forma formal, mas já deu indicações de que não é favorável a esta alteração. A comissária dos Transportes, Violeta Bulc, disse no PE que também «os benefícios para a saúde humana que resultam de um maior aproveitamento da luz do dia têm de ser tidos em conta», reforçando que «não existe grande interesse das capitais europeias em acabarem com o horário de verão».

O Parlamento Europeu (PE) apelou à Comissão Europeia para que seja reconsiderada a mudança da hora, uma prática que tem décadas de existência e que, segundo os deputados, pode ser prejudicial para a saúde humana

Mesmo que a Comissão Europeia avance com uma proposta de alteração, esta terá de ser aprovada pela maioria dos países e dos deputados do PE, num processo que demorará pelo menos um ano.

18tm06T
09 de Fevereiro de 2018
1806Pub6f18tm06T

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

23.02.2018

Estudo divulga os antidepressivos mais e menos eficazes

Colocando um «ponto final» no cetipcismo em torno dos antidepressivos, um estudo liderado pela Unive...

23.02.2018

Criado e-mail para receber denúncias sobre as deficiências do SNS

A Ordem dos Médicos (OM) entregou esta quinta-feira, na Comissão Parlamentar de Saúde (CPS), uma car...

23.02.2018

Quatro canais de televisão unem-se em campanha do Governo sobre riscos do a...

O humorista Herman José, a atriz Joana Solnado e o ator Lourenço Ortigão aceitaram o desafio de part...

por Teresa Mendes | 22.02.2018

Nomeada nova diretora executiva do Plano Nacional da Saúde

Maria de Fátima Quitério, assistente graduada da carreira médica de saúde pública, do mapa de pessoa...

22.02.2018

Processo para abrir concurso para 700 jovens médicos está nas Finanças

Após ter dito em janeiro que os concursos para os mais de 700 médicos recém-especialistas iam ser ab...

22.02.2018

Hospital Monsanto inaugurado

O Hospital Monsanto foi esta quinta-feira inaugurado, em Alfragide, Lisboa.<br /> A infraestrutura,...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.