Fnam mantém decisão de greve após nova reunião com tutela

12.02.2018

«Os pontos imprescindíveis continuam sem qualquer contraproposta»
Da mais recente reunião dos sindicatos médicos com o Ministério da Saúde voltou a não sair fumo branco, antes pelo contrário.

«Não havendo qualquer aproximação do Governo às legítimas expetativas dos trabalhadores médicos, a Fnam mantém a decisão de escalar as formas de luta, já anunciadas previamente», entre as quais nova greve nacional, anuncia aquele sindicato num comunicado.

Segundo a Federação Nacional dos Médicos (Fnam), na reunião da passada quinta-feira, dia 8, estiveram presentes a secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos, e o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, constatando o sindicato que «a substituição de alguns dos elementos da delegação não representou qualquer evolução na posição governamental».

De acordo com um comunicado  daquela estrutura sindical, «os pontos imprescindíveis, como a negociação da carreira médica e da grelha remuneratória, a diminuição da lista de utentes dos médicos de família e os limites do trabalho urgente e extraordinário, continuam sem qualquer contraproposta por parte do Ministério da Saúde».

Em relação aos concursos de colocação de recém-especialistas, atrasados há vários meses, «fomos informados que o concurso à especialidade de Medicina Geral e Familiar estaria previsto para a próxima semana. No entanto, continua sem perspetiva de data de abertura o concurso para os especialistas hospitalares».

«Não havendo qualquer aproximação do Governo às legítimas expetativas dos trabalhadores médicos, a Fnam mantém a decisão de escalar as formas de luta, já anunciadas previamente», entre as quais nova greve nacional, anuncia aquele sindicato num comunicado

Relativamente ao diploma que regulamenta o Internato Médico, a Fnam diz ter manifestado não conhecer qual a versão que teria sido enviada para promulgação, «expressando o seu desacordo sobre a versão conhecida pelos sindicatos.

Ainda segundo a Fnam, a delegação do Ministério da Saúde garantiu que irá apresentar contrapropostas por escrito ainda durante o mês de fevereiro.

18tm07B
12 de Fevereiro de 2018
1807Pub2f18tm07B

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

23.02.2018

«Mais do que discursos, queremos é ações»

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) anunciou esta quinta-feira, em conferência de Imprensa...

23.02.2018

Estudo divulga os antidepressivos mais e menos eficazes

Colocando um «ponto final» no cetipcismo em torno dos antidepressivos, um estudo liderado pela Unive...

23.02.2018

Criado e-mail para receber denúncias sobre as deficiências do SNS

A Ordem dos Médicos (OM) entregou esta quinta-feira, na Comissão Parlamentar de Saúde (CPS), uma car...

23.02.2018

Quatro canais de televisão unem-se em campanha do Governo sobre riscos do a...

O humorista Herman José, a atriz Joana Solnado e o ator Lourenço Ortigão aceitaram o desafio de part...

por Teresa Mendes | 22.02.2018

Nomeada nova diretora executiva do Plano Nacional da Saúde

Maria de Fátima Quitério, assistente graduada da carreira médica de saúde pública, do mapa de pessoa...

22.02.2018

Processo para abrir concurso para 700 jovens médicos está nas Finanças

Após ter dito em janeiro que os concursos para os mais de 700 médicos recém-especialistas iam ser ab...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.