Daclizumab beta retirado do mercado 

07.03.2018

 Decisão da Agência Europeia do Medicamento 
A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou hoje a suspensão imediata da autorização de introdução no mercado (AIM) de daclizumab beta (Zinbryta®) e a retirada de todas as embalagens das farmácias e hospitais, depois de conhecidos relatos de graves perturbações inflamatórias cerebrais em todo o Mundo, incluindo encefalite e meningoencefalite. Três casos foram fatais.

O daclizumab beta pode estar também associado a graves reações imunitárias afetando vários outros órgãos.

Assim, nenhum novo doente deve iniciar tratamento com este fármaco, e os que já o tomam devem ser imediatamente contatados pelo médico assistente para que o suspendam e recebam alternativa.

Devem, além disso, ser seguidos durante pelo menos seis meses, para deteção de reações ao daclizumab. 

Nenhum novo doente deve iniciar tratamento com este fármaco, e os que já o tomam devem ser imediatamente contatados pelo médico assistente para que o suspendam e recebam alternativa

A companhia que comercializa o Zinbryta, a Biogen, já tomou a iniciativa de pedir a retirada da AIM do medicamento, e informou a EMA da sua intenção de cancelar os ensaios clínicos que o avaliam.

18JPO12A
07 de Março de 2018
1810Pub4f18JPO12A

E AINDA

12.12.2018

 Infarmed disponibiliza relatório anual sobre estatísticas do medicamento

A Autoridade Nacional do Medicamento divulgou esta terça-feira o seu relatório anual «Estatística do...

por Teresa Mendes | 12.12.2018

Conselho das Finanças Públicas alerta para «restrições efetivas no acesso»...

«Considerando que Portugal possui um sistema nacional de saúde com cobertura automática e integral d...

12.12.2018

Ordem dos Médicos pede «exceção» para operar crianças 

A Ordem dos Médicos (OM) defendeu esta terça-feira, no final de uma reunião com os diretores clínico...

por Teresa Mendes | 11.12.2018

Equipa dedicadas nos serviços de Urgência avançam em 2019

O conceito de Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) será estendido aos serviços de Urgência hos...

por Teresa Mendes | 11.12.2018

Ordem dos Enfermeiros abandona Convenção Nacional de Saúde

A Ordem dos Enfermeiros (OE) decidiu abandonar a Convenção Nacional de Saúde (CNS) por considerar qu...

11.12.2018

 Marta Temido defende reflexão profunda para «sair da fase da estagnação»

Passados dez anos sobre a reforma dos cuidados de saúde primários (CSP), a ministra da Saúde defende...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.