Governo vai rever gestão das instalações e equipamentos de saúde

por Teresa Mendes | 08.03.2018

Grupo de trabalho tem 90 dias para apresentar relatório
O Governo quer equipamentos e infraestruturas de saúde com condições que garantam a qualidade da prestação de cuidados de saúde às populações.
Para o efeito, decidiu criar um grupo de trabalho que tem 90 dias para apresentar uma proposta de Plano de Ação para a Gestão das Instalações e Equipamentos de Saúde.

Num despacho publicado hoje no Diário da República, o Ministério da Saúde anuncia que a equipa será constituída por um representante da Administração Central do Sistema de Saúde (que preside) e um representante da cada Administração Regional de Saúde e da Direção-Geral da Saúde.

O grupo de trabalho deverá apresentar «um projeto de código de instalações e equipamentos de saúde», bem como a «estrutura e o conjunto de informação de base a considerar na elaboração dos instrumentos de gestão das instalações e equipamentos da saúde», lê-se no diploma

Terá ainda como missão «apresentar linhas de orientação a observar na gestão e organização dos departamentos e serviços responsáveis pela gestão das instalações e equipamentos dos serviços do Ministério da Saúde e definir perfis de natureza multidisciplinar, incluindo as valências de engenharia, arquitetura e sistemas e competências adequados às funções a exercer no âmbito da atividade de apoio e coordenação da Arquitetura e Engenharia da Saúde, bem como formação específica e obrigatória, inicial e continuada».

O Governo quer equipamentos e infraestruturas de saúde com condições que garantam a qualidade da prestação de cuidados de saúde às populações. Para o efeito, decidiu criar um grupo de trabalho que tem 90 dias para apresentar uma proposta de Plano de Ação para a Gestão das Instalações e Equipamentos de Saúde

A tutela justifica a medida, dizendo que «a qualidade da prestação de cuidados de saúde às populações exige equipamentos e infraestruturas de saúde que ofereçam condições adequadas para o efeito, bem como um acolhimento humanizado e um atendimento compatível com os modernos padrões definidos para o Serviço Nacional de Saúde».

18tm10M
08 de Março de 2018
1810Pub5f18tm10M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 «Assistimos hoje ao assassinato premeditado do modelo USF»

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) decidiu abandonar as reuniões da Comissão Técnica Naciona...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 «Premium Cataract Surgery 2020» debate técnicas cirúrgicas inovadoras

A Universidade do Minho organiza, no próximo dia 18 de janeiro de 2020, a conferência «Premium Catar...

13.12.2019

 Tecnologia criada no Porto ajuda médicos a identificar nódulos pulmonares

Investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TE...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 Marta Temido anuncia reforço de 800 milhões de euros para a Saúde em 2020

Foram várias as entidades que se congratularam publicamente pelo reforço de verbas para o Serviço Na...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

55% dos doentes com doença crónica tem baixos níveis de literacia em saúde

«55% da população com doença crónica tem níveis inadequados de literacia em saúde», uma situação que...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

Lançado Instituto Virtual de Fibromialgia

Foi lançado o Instituto Virtual de Fibromialgia, MyFibromyalgia®, uma ferramenta de intervenção clín...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.