INEM reduz o tempo médio para atendimento nos CODU

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 09.05.2018

Luís Meira ouvido na Comissão Parlamentar de Saúde
Foram boas as notícias que o presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) levou hoje aos deputados da Comissão Parlamentar de Saúde.
O tempo de espera de chamadas para o INEM diminuiu este ano, após em 2017 ter aumentado para o dobro do que se verificava no ano anterior.
Para isso contribuíram melhorias técnicas e mais recursos humanos.

«O tempo médio para atendimento das chamadas recebidas nos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM reduziu para 13 segundos no mês de maio de 2018, um valor significativamente inferior à média de 36 segundos registada no ano de 2017», salienta uma nota publicada no site do organismo.

Também para a totalidade dos primeiros quatro meses de 2018, o tempo de atendimento foi inferior ao tempo médio registado no ano anterior, apesar do maior número de chamadas atendidas por dia, diz ainda o comunicado.
Segundo o Instituto, uma das medidas que permitiu reduzir substancialmente o tempo de atendimento das chamadas foi «a criação de uma equipa médica para acompanhar e monitorizar permanentemente a atividade das Centrais Médicas do INEM, os CODU».

Por outro lado, salienta o organismo, na vertente de «Sensibilização», «o INEM tem procurado sensibilizar os seus diferentes públicos para o uso responsável dos serviços e meios do INEM». 
Por fim, também contribuiu para a redução do tempo de resposta a entrada em funcionamento do Centro Operacional Norte (CONOR), bem como a entrada em pleno funcionamento dos dois Centros Operacionais Sul e Norte, com a migração do atendimento realizado pela Central 112 que servia o distrito de Lisboa para o Centro Operacional Sul (COSUL). 

«O tempo médio para atendimento das chamadas recebidas nos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM reduziu para 13 segundos no mês de maio de 2018, um valor significativamente inferior à média de 36 segundos registada no ano de 2017» 

O desenvolvimento de trabalhos técnicos de configuração das infraestruturas de telefonia do Ministério da Administração Interna (MAI) e do INEM «para garantir a reforço das ligações entre as centrais do MAI e do INEM, aumentando-se a redundância no atendimento do 112», foi outra das medidas.

O reforço dos recursos humano foi o reforço que faltava.
Os CODU foram ampliados com mais 41 assistentes técnicos, foram recrutados mais 16 médicos para a bolsa de prestadores de serviços nos CODU, foi promovido um curso de formação para o exercício de funções nos CODU para mais 20 médicos e aumentada a equipa de psicólogos com mais sete profissionais.
Este mês de maio foi aberto um concurso para contratação de 100 Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar.

18tm19J
09 de Maio de 2018
1819Pub4f18tm19J

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.