Hospital dos Covões sem cirurgiões para o Serviço de Urgência

14.05.2018

Denúncia do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos
O Serviço de Urgência do Hospital dos Covões, que integra o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), «está sem capacidade de resposta em alguns turnos de Cirurgia», denunciou este domingo o Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos (CRCOM). 

Numa nota à Imprensa o responsável alerta também para o risco de a equipa de Cirurgia do serviço «não conseguir sequer cumprir os requisitos mínimos» definidos pelo colégio de especialidade, a partir de junho.
«Já há dias em que a escala é constituída apenas por um especialista e um interno.

E, durante a noite, apenas está escalado um cirurgião», diz o presidente do CRCOM, Carlos Cortes, citado na nota, lembrando que o Colégio de Cirurgia da Ordem dos Médicos estabelece um número mínimo de três especialistas na equipa de cirurgia geral na urgência.

Para Carlos Cortes, o que se está a passar no Hospital dos Covões é «a destruição de um polo importante da saúde em Coimbra, que merecia ser valorizado».

No comunicado, o Conselho Regional adverte para «as graves irregularidades» no serviço de Cirurgia, pedindo ao Ministério da Saúde que «ponha cobro a esta situação alarmante».

«Esta é uma situação gravosa para os doentes. A inexistência de uma escala completa de cirurgiões na urgência deste hospital constitui uma ameaça para a população. Deixar de ter médicos para operar em situações urgentes ou emergentes não é digno de um serviço de urgência de um país civilizado», sublinha ainda Carlos Cortes, considerando que, pouco a pouco, «o Hospital dos Covões está a ser esvaziado das suas valências».

«Deixar de ter médicos para operar em situações urgentes ou emergentes não é digno de um serviço de urgência de um país civilizado», sublinha Carlos Cortes 

Segundo o responsável, a situação na urgência agravou-se agora «com a ausência de concurso para os dois cirurgiões recém-especialistas», o que poderá ter como resultado o não cumprimento dos requisitos mínimos já a partir de junho para o serviço de urgência daquele hospital.

18tm20D
14 de Maio de 2018
1820Pub2f18tm20D

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

 SIM acusa Governo de não resolver a «situação crítica» no INML

No dia da abertura do ano judicial o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) deixou um apelou ao Go...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.