Fundação Rui Osório de Castro defende ensaios clínicos em Oncologia pediátrica

22.05.2018

Sobrevivência com maior qualidade de vida é outras das preocupações
A Fundação Rui Osório de Castro alerta para a necessidade de as entidades governamentais assegurarem a existência de ensaios clínicos em Oncologia pediátrica.
«Só assim é possível a melhoria contínua nos cuidados prestados», salienta Cristina Potier, diretora geral da Fundação, num comunicado publicado a propósito do Dia Internacional dos Ensaios Clínicos, que se assinalou este domingo.

«Os poucos estudos que existem, ao contrário do que se possa pensar, são promovidos por iniciativa dos próprios médicos e não pela indústria farmacêutica que naturalmente se foca nos cancros dos adultos», refere aquela responsável.

Entre as questões que impedem a inclusão de crianças com doença oncológica em ensaios clínicos estão a escassez de recursos humanos para coordenar, monitorizar e reportar aos grupos internacionais que coordenam estes estudos e, também, a falta de recursos financeiros.
Neste sentido, a diretora geral da Fundação considera que «sendo o tratamento do cancro pediátrico assegurado pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), o investimento na melhoria constante dos tratamentos prestados também deverá ser uma responsabilidade deste mesmo SNS». «Apesar de nesta altura existir uma taxa de sobrevivência bastante elevada (à volta dos 80%), ainda existem alguns tipos de cancro com taxas não tão positivas», lembra a dirigente.

A Fundação Rui Osório de Castro alerta para a necessidade de as entidades governamentais assegurarem a existência de ensaios clínicos em Oncologia pediátrica. «Só assim é possível a melhoria contínua nos cuidados prestados», salienta Cristina Potier 

A sobrevivência com maior qualidade de vida é outras das preocupações da Fundação, deixando Cristina Potier um aviso: «Existem estatísticas que referem efeitos secundários em cada dois de três sobreviventes. Estes números têm de melhorar. Ou se investe já ou vamos pagar mais tarde», pode ler-se no comunicado.

18tm21G
22 de Maio de 2018
1821Pub3f18tm21G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Médicos alertam para rutura na Neonatologia da Maternidade Bissaya Barreto

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) alertou esta quarta-feira para a rutura iminente no se...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.