Fundação Rui Osório de Castro defende ensaios clínicos em Oncologia pediátrica

22.05.2018

Sobrevivência com maior qualidade de vida é outras das preocupações
A Fundação Rui Osório de Castro alerta para a necessidade de as entidades governamentais assegurarem a existência de ensaios clínicos em Oncologia pediátrica.
«Só assim é possível a melhoria contínua nos cuidados prestados», salienta Cristina Potier, diretora geral da Fundação, num comunicado publicado a propósito do Dia Internacional dos Ensaios Clínicos, que se assinalou este domingo.

«Os poucos estudos que existem, ao contrário do que se possa pensar, são promovidos por iniciativa dos próprios médicos e não pela indústria farmacêutica que naturalmente se foca nos cancros dos adultos», refere aquela responsável.

Entre as questões que impedem a inclusão de crianças com doença oncológica em ensaios clínicos estão a escassez de recursos humanos para coordenar, monitorizar e reportar aos grupos internacionais que coordenam estes estudos e, também, a falta de recursos financeiros.
Neste sentido, a diretora geral da Fundação considera que «sendo o tratamento do cancro pediátrico assegurado pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), o investimento na melhoria constante dos tratamentos prestados também deverá ser uma responsabilidade deste mesmo SNS». «Apesar de nesta altura existir uma taxa de sobrevivência bastante elevada (à volta dos 80%), ainda existem alguns tipos de cancro com taxas não tão positivas», lembra a dirigente.

A Fundação Rui Osório de Castro alerta para a necessidade de as entidades governamentais assegurarem a existência de ensaios clínicos em Oncologia pediátrica. «Só assim é possível a melhoria contínua nos cuidados prestados», salienta Cristina Potier 

A sobrevivência com maior qualidade de vida é outras das preocupações da Fundação, deixando Cristina Potier um aviso: «Existem estatísticas que referem efeitos secundários em cada dois de três sobreviventes. Estes números têm de melhorar. Ou se investe já ou vamos pagar mais tarde», pode ler-se no comunicado.

18tm21G
22 de Maio de 2018
1821Pub3f18tm21G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.