Tumores malignos e doenças do aparelho circulatório responsáveis por mais de metade das mortes

foto de "DR" | 23.05.2018

Relatório do INE sobre «Causas de Morte – 2016» em Portugal
 
As doenças do aparelho circulatório e os tumores malignos foram os responsáveis por mais de metade das 110.970 mortes registadas em Portugal, em 2016, segundo o mais recente relatório «Causas de Morte», do Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a publicação, as doenças circulatórias mataram mais mulheres, fazendo 32.805 vítimas (55,1%), do que homens, com a idade média de morte nos 81,1 anos.
Em relação a 2015, houve uma pequena descida de 0,2%, mas mesmo assim perderam-se 47.923 potenciais anos de vida para as doenças circulatórias.

Quanto às mortes por tumor maligno, os dados do INE mostram um aumento de 2,7% no número de mortes em relação a 2015, subindo para 27.357, com uma idade média de 73,1 anos e custando 111.072 potenciais anos de vida perdidos para as doenças.
Os tumores malignos da traqueia/brônquios/pulmão e os do cólon, reto e ânus foram os mais mortíferos, tirando a vida a mais de 8.000 pessoas. 

As doenças do aparelho circulatório e os tumores malignos foram os responsáveis por mais de metade das 110.970 mortes registadas em Portugal, em 2016, segundo o mais recente relatório «Causas de Morte», do Instituto Nacional de Estatística (INE) 

As doenças do aparelho respiratório provocaram 13.474 mortes em 2016, mais quatro do que no ano anterior, atingindo mais os homens (52,2%), e em 9,9% dos casos, antes dos 70 anos, custando 14.963 anos potenciais de vida.
Mais de 36% do total das mortes aconteceram antes dos 70 anos.
A sua quase totalidade deveu-se a doenças, mas 4,4% aconteceram por «causas externas de lesão e envenenamento», 2,6% por acidentes e 0,9% por suicídio. 

Em 2016, os 981 suicídios representaram uma descida de 13,3% em relação ao ano anterior.

Mais informações

18tm21i
23 de Maio de 2018
1821Pub4f18tm21i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.06.2019

Rui Ivo volta a ser presidente do Infarmed

Rui Ivo é nomeado, pela segunda vez, presidente da direção do Infarmed.<br /> A nomeação do Conselh...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 Médicos estão cada vez mais receosos quando têm que denunciar insuficiênci...

Os profissionais de saúde têm «cada vez mais receio» de denunciar situações de insuficiências ou mau...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 IPO Lisboa apela à dádiva de sangue

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Ser...

14.06.2019

Taxas moderadoras nos centros de saúde com fim à vista

A proposta do Bloco de Esquerda que dita o fim das taxas moderadoras nos centros de saúde vai ser vo...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Médicos com alojamento assegurado para reforço de cuidados de saúde no verã...

 A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve vai assegurar residência aos médicos que queiram...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Argumentos que pretendem proibir PPP na saúde «não são razoáveis»

Numa altura em que foi adiada a votação do artigo sobre as PPP da Lei de Bases da Saúde para o próxi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.