Falta de enfermeiros obriga HSM a fechar camas

23.05.2018

Ordem e sindicato dizem que situação acontece na maior parte dos hospitais
A saída de mais de 100 enfermeiros desde o início do ano obrigou agora o Hospital de Santa Maria (HSM), em Lisboa, a fechar camas e um setor de cirurgia.

O presidente do conselho de administração garante que não há risco para os doentes, mas o sindicato e a Ordem dos Enfermeiros estão preocupados com a situação, que dizem acontecer por todo o país.

«São atos normais de gestão», disse Carlos Martins à TSF, alegando que «não foi possível ter autorizações para os 100 enfermeiros» que pediram. «Tivemos metade, e isso obrigou-nos a ter algumas medidas para manter a segurança dos doentes à nossa responsabilidade, não aumentar nenhum risco e, também, para salvaguardar o exercício [de funções] dos nossos profissionais», argumentou.

O presidente do conselho de administração do HSM disse ainda ter a expectativa de, em breve, receber autorização, por parte dos recursos humanos, para contratar mais enfermeiros. «Assim que nos chegarem as autorizações, iremos fazer a reposição da organização tal qual ela estava antes da saída destes enfermeiros», assegurou o responsável.

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, já tinha alertado para a falta crónica de profissionais, lembrando que a situação não se limita ao Hospital de Santa Maria. Segundo a dirigente, «há uma rutura completa, que já levou a Ordem dos Enfermeiros a enviar ofícios ao Presidente da República e ao primeiro-ministro».

Também o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) advertiu esta terça-feira que há vários hospitais que poderão vir a encerrar serviços porque o Governo não autoriza a contratação de enfermeiros.

A saída de mais de 100 enfermeiros obrigou o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, a fechar camas e um setor de cirurgia. Carlos Martins garante que não há risco para os doentes, mas o sindicato e a Ordem dos Enfermeiros estão preocupados com a situação, que dizem acontecer por todo o país

Em declarações à agência Lusa, Guadalupe Simões, do SEP, disse que o que se está a acontecer no HSM está a passar-se na maior parte dos hospitais portugueses, como por exemplo no Hospital da Cova da Beira, no Centro Hospitalar do Porto e na Unidade Local de Matosinhos.

«O Santa Maria já encerrou um serviço de cirurgia, mas prevê-se que noutros hospitais possam vir a ser encerrados serviços resultado daquilo que é a não autorização do Ministério da Saúde e Ministério das Finanças de contratar enfermeiros», avançou a sindicalista.

18tm21K
23 de Maio de 2018
1821Pub4f18tm21K

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

14.08.2018

Centro Hospitalar de Leiria está a trabalhar «no limite»

O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), Helder Roque, alerto...

por Teresa Mendes | 14.08.2018

Doentes continuam sem acesso à nutrição parentérica no ambulatório

A nutrição parentérica ou entérica continua a não estar acessível aos doentes que dela precisam nos...

por Teresa Mendes | 14.08.2018

 Hipertensão é o principal problema de saúde dos utentes da ARSLVT

A hipertensão é o principal problema de saúde dos utentes dos cuidados de saúde primários da Adminis...

14.08.2018

Horas de sono a mais aumentam risco cardiovascular

Dormir menos do que sete horas diárias ou mais do que as oito recomendadas pode aumentar o risco de...

por Teresa Mendes | 13.08.2018

Especialistas portugueses integram missão contra o Ébola

Três especialistas portugueses vão integrar uma missão internacional de prevenção e resposta rápida...

por Teresa Mendes | 13.08.2018

Concurso de colocação dos médicos recém-especialistas é uma «falácia»

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) considera o concurso de colocação dos médicos recém-especial...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.