Novos casos de cancro devem aumentar para mais do dobro em 2035

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 24.05.2018

Relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro
 «À medida que mais países adotarem estilos de vida ocidentais o número de novos casos de cancro deverá aumentar 58% para 24 milhões de pessoas no mundo em 2035», salienta um relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro.

«Diet, Nutrition, Physical Activity and Cancer: a Global Perspective» é o título do documento, que vai já na sua terceira edição, e que junta recomendações sobre a prevenção do cancro baseadas em evidências, muitas delas relacionadas com o excesso de peso e os hábitos alimentares.

«Estamos perante uma epidemia global de obesidade, o declínio da atividade física entre crianças e adultos em muitas partes do mundo, e um aumento no consumo de alimentos ricos em energia.
Se estas tendências atuais continuarem, o excesso de peso e a obesidade provavelmente ultrapassarão o tabagismo como o risco número um de cancro», alertam os autores.

Segundo a investigação, o excesso de peso ou a obesidade estão na origem de pelo menos 12 tipos de cancro, mais cinco do que o Fundo referia há uma década.
Ao cancro do fígado, ovários, próstata, estômago, boca e garganta (boca, faringe e laringe) juntam-se o cancro do intestino, mama, vesícula biliar, rins, esófago, pâncreas e útero.

Beber regularmente bebidas com açúcar aumenta o risco de cancro, mas ser fisicamente ativo pode ajudar a proteger contra três tipos de cancro (intestino, mama e útero) e ajuda a manter um peso saudável, salienta o relatório, que chama ainda a atenção para a importância de uma dieta rica em legumes e frutas e pobre em carnes vermelhas e processadas.

Já o consumo de álcool está fortemente ligado ao risco de contrair seis tipos de cancro (estômago, intestino, mama, fígado, boca e garganta e esófago).

«À medida que mais países adotarem estilos de vida ocidentais o número de novos casos de cancro deverá aumentar 58% para 24 milhões de pessoas no mundo em 2035», salienta um relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro 

Os autores do trabalho notam que estilos de vida sedentários e com uma alimentação rápida e processada estão a levar a «aumentos dramáticos» de casos de cancro em todo o mundo, e salientam que uma em cada seis mortes no mundo se deve ao cancro.
Recorde-se que o primeiro e segundo relatórios de especialistas, quando foram publicados em 1997 e 2007, respetivamente, foram pontos de referência na ciência da prevenção do cancro.

Desde o segundo relatório, que cientistas do Imperial College of London têm vindo a adicionar informações a um banco de dados único e crescente de evidências relacionadas à prevenção do câncer e dieta, nutrição e atividade física.

O download do relatório pode ser feito aqui

18tm21N
24 de Maio de 2018
1821Pub5f18tm21N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Médicos alertam para rutura na Neonatologia da Maternidade Bissaya Barreto

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) alertou esta quarta-feira para a rutura iminente no se...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.