Novos casos de cancro devem aumentar para mais do dobro em 2035

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 24.05.2018

Relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro
 «À medida que mais países adotarem estilos de vida ocidentais o número de novos casos de cancro deverá aumentar 58% para 24 milhões de pessoas no mundo em 2035», salienta um relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro.

«Diet, Nutrition, Physical Activity and Cancer: a Global Perspective» é o título do documento, que vai já na sua terceira edição, e que junta recomendações sobre a prevenção do cancro baseadas em evidências, muitas delas relacionadas com o excesso de peso e os hábitos alimentares.

«Estamos perante uma epidemia global de obesidade, o declínio da atividade física entre crianças e adultos em muitas partes do mundo, e um aumento no consumo de alimentos ricos em energia.
Se estas tendências atuais continuarem, o excesso de peso e a obesidade provavelmente ultrapassarão o tabagismo como o risco número um de cancro», alertam os autores.

Segundo a investigação, o excesso de peso ou a obesidade estão na origem de pelo menos 12 tipos de cancro, mais cinco do que o Fundo referia há uma década.
Ao cancro do fígado, ovários, próstata, estômago, boca e garganta (boca, faringe e laringe) juntam-se o cancro do intestino, mama, vesícula biliar, rins, esófago, pâncreas e útero.

Beber regularmente bebidas com açúcar aumenta o risco de cancro, mas ser fisicamente ativo pode ajudar a proteger contra três tipos de cancro (intestino, mama e útero) e ajuda a manter um peso saudável, salienta o relatório, que chama ainda a atenção para a importância de uma dieta rica em legumes e frutas e pobre em carnes vermelhas e processadas.

Já o consumo de álcool está fortemente ligado ao risco de contrair seis tipos de cancro (estômago, intestino, mama, fígado, boca e garganta e esófago).

«À medida que mais países adotarem estilos de vida ocidentais o número de novos casos de cancro deverá aumentar 58% para 24 milhões de pessoas no mundo em 2035», salienta um relatório do Fundo Mundial para a Pesquisa do Cancro 

Os autores do trabalho notam que estilos de vida sedentários e com uma alimentação rápida e processada estão a levar a «aumentos dramáticos» de casos de cancro em todo o mundo, e salientam que uma em cada seis mortes no mundo se deve ao cancro.
Recorde-se que o primeiro e segundo relatórios de especialistas, quando foram publicados em 1997 e 2007, respetivamente, foram pontos de referência na ciência da prevenção do cancro.

Desde o segundo relatório, que cientistas do Imperial College of London têm vindo a adicionar informações a um banco de dados único e crescente de evidências relacionadas à prevenção do câncer e dieta, nutrição e atividade física.

O download do relatório pode ser feito aqui

18tm21N
24 de Maio de 2018
1821Pub5f18tm21N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.