«Sabor sem saleiro à mesa»

01.06.2018

Nova campanha de saúde pública da ARS Algarve
São quase 36% dos algarvios que adicionam sal no prato, um dado que levou os nutricionistas da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, através do Departamento de Saúde Pública e Planeamento, a promover a campanha «Sabor sem saleiro à mesa».

De acordo com os dados do Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF), 17,7% dos portugueses inquiridos referiram adicionar sal no prato da sua comida pela utilização do saleiro.
Porém, o estudo revela que o padrão de consumo adicional de sal é diferente entre sexos, grupos etários, situação laboral e nas diversas regiões do país. O consumo adicional de sal e mais prevalente entre homens, no grupo etário dos 25 aos 34 anos, em pessoas empregadas e na região do Algarve. 

«Mesmo com o diagnóstico de hipertensão arterial, 13,7% dos inquiridos adicionam sal na comida. Entre as várias regiões, o costume demonstra grandes assimetrias, variando entre 9,2% no Norte e 35,8% no Algarve», salienta a informação divulgada pela ARS do Algarve.

São quase 36% dos algarvios que adicionam sal no prato, um dado que levou os nutricionistas da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, através do Departamento de Saúde Pública e Planeamento, a promover a campanha «Sabor sem saleiro à mesa»

Verificando esta elevada percentagem, esta ARS, através do Núcleo Regional do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável do Departamento de Saúde Pública e Planeamento, decidiu intervir com esta campanha, que tem como objetivos informar a população sobre a importância de diminuir o uso do saleiro na mesa, incentivar as pessoas a reduzir o consumo de sal, utilizando mais alimentos aromáticos, adquirir hábitos alimentares mais saudáveis, minorar o risco de doença cardiovascular e melhorar o estado de saúde.

Todas as informações 

18tm22M
01 de Junho de 2018
1822Pub6f18tm22M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.