Portugal acolhe lançamento do Plano de Ação Mundial da Atividade Física

04.06.2018

«Pessoas Mais Ativas para um Mundo Mais Saudável»
«Pessoas Mais Ativas para um Mundo Mais Saudável» foi o nome escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o Plano de Ação Mundial da Atividade Física 2018-2030, que dará orientações claras aos países para promoverem, numa lógica intersectorial e de saúde em todas as políticas, a atividade física junto das populações.

Portugal é o anfitrião da iniciativa, tendo a mesma sido lançada hoje oficialmente na Cidade do Futebol, Dafundo, com a presença do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, e do presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes.

Na ocasião, foi ainda assinado um protocolo de promoção de hábitos de vida saudáveis, com cerca de quatro dezenas de municípios, tendo sido igualmente apresentada a nova campanha nacional de promoção da atividade física.

Recorde-se que o grande objetivo da OMS é aumentar em 15% os níveis de atividade física em todo o Mundo até 2030, sabendo-se que atualmente, um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não praticam níveis suficientes de atividade física. 

Estes números são ainda mais preocupantes quando se olha para as jovens, as mulheres, os idosos, e as pessoas mais desfavorecidas ou portadoras de alguma deficiência ou doença crónica.

«Pessoas Mais Ativas para um Mundo Mais Saudável» foi o nome escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para o Plano de Ação Mundial da Atividade Física 2018-2030, que dará orientações claras aos países para promoverem, numa lógica intersectorial e de saúde em todas as políticas, a atividade física junto das populações

De acordo com o último Eurobarómetro, apenas 5% das pessoas com 15 ou mais anos dizem fazer exercício ou desporto regularmente e a mesma percentagem afirma fazer habitualmente outras atividades físicas, como deslocar-se de bicicleta.

Cerca de 14% das mortes anuais em Portugal estarão associadas à inatividade física.
Em todo o mundo, estima-se que a inatividade física tenha custos diretos em saúde associados na ordem dos 45,9 mil milhões de euros.

18tm23C
04 de Junho de 2018
1823Pub2f18tm23C

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

 «Queremos que o hospital saia de portas»

O Governo quer alargar a hospitalização domiciliária a todos os hospitais do Serviço Nacional de Saú...

16.09.2019

Bastonária da OE chama Miguel Guimarães para ser ouvido no caso da sindicân...

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE), Ana Rita Cavaco, quer incluir, como testemunhas, o ex-mi...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 1.ª Edição Hot Topics em Hepatologia

Vai decorrer, no dia 11 de outubro, na Ordem dos Médicos, em Vila Real, a 1.ª edição dos Hot Topics...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

Pela primeira vez em seis meses, a dívida à Indústria Farmacêutica diminuiu

Pela primeira vez em seis meses, o valor da dívida dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS)...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

Ordem celebra 80 anos com coleção de fac-similadas de autores médicos

 A Ordem dos Médicos (OM) convida todos os profissionais a vir conhecer, na próxima segunda-feira, d...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

 Literacia em Saúde: DGS lança Manual para capacitação dos profissionais

No âmbito do Plano de Ação para a Literacia em Saúde 2019/2012, a Direção-Geral da Saúde (DGS) lanço...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

 Demitem-se dez chefes de equipa de urgência do Hospital Garcia de Orta

Demitiram-se dez chefes de equipa de urgência do Hospital Garcia de Orta, em Almada, segundo a Socie...

por Teresa Mendes | 12.09.2019

 SPP recomenda aos médicos que reportem os casos suspeitos em Portugal

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) recomenda aos médicos que passem a comunicar os casos de...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.