«A Genética na Doença Oncológica»

13.06.2018

Debate assinala Dia Nacional de Luta Contra o Cancro
A Associação de Apoio a Pessoas com Cancro (AAPC), em parceria com a OncoDNA, assinala amanhã, dia 14 de junho, o Dia Nacional de Luta Contra o Cancro, com um debate sobre a «A Genética na Doença Oncológica», pelas 15h00, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de São Mamede de Infesta.

Segundo um comunicado da AAPC, nesta sessão será abordado o papel da genética em matéria de cancro e será explicado, entre outras questões, como a ferramenta «Oncologia Personalizada» ajuda e guia os doentes com cancro e os oncologistas na busca do melhor tratamento para a obtenção do melhor resultado.

Serão também abordadas outras questões como «O que é a Oncologia personalizada», «O papel da OncoDNA na personalização dos tratamentos oncológicos», «A importância da genética no desenvolvimento do cancro», entre outras. 

A Associação de Apoio a Pessoas com Cancro (AAPC), em parceria com a OncoDNA, assinala amanhã, dia 14 de junho, o Dia Nacional de Luta Contra o Cancro, com um debate sobre a «A Genética na Doença Oncológica», pelas 15h00, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de São Mamede de Infesta 

De acordo com Luis Alvaréz, representante da OncoDNA em Portugal, «falar de cancro sem falar de genética é impossível».

Para o responsável, o futuro da Oncologia passa pela medicina de precisão: «Os tumores aparecem por alterações e mutações nos genes e essa medicina personalizada analisa como podemos ter o tratamento mais adequado para o doente. A genética não tem um papel no cancro, é o próprio papel porque supõe o começo e, nas melhores condições, o fim da patologia.
Apenas entre 5 a 10% dos tumores têm origem hereditária.»

Também Susana Duarte, diretora do Departamento Social da AAPC, acredita que «é extremamente importante dar a conhecer aos doentes oncológicos e familiares as ferramentas que têm à disposição para combater o cancro da forma mais eficaz possível. É também importante que conheçam a origem dos tumores, pois muita gente pensa que o cancro é hereditário.
Contudo, é a genética e as mutações nesses genes que ditam o desenvolvimento desta doença».

Neste Dia Nacional de Luta Contra o Cancro será também inaugurada a exposição «Senti(r)nela» no Salão Nobre da Junta de Freguesia de São Mamede de Infesta, dedicada ao cancro no feminino, e pretende homenagear as mulheres que lutam contra a doença oncológica.

A exposição é composta por dez fotografias individuais sendo as protagonistas utentes da AAPC com diagnóstico de diversos tipos de cancro.
Assim, tem como principal objetivo consciencializar a comunidade para a existência de diferentes cancros na mulher, e não apenas o cancro da mama.

Para além disso, as protagonistas pretendem passar a mensagem de que o ajustamento psicossocial ao cancro é diferente de mulher para mulher, existindo uma grande variação nas respostas biológicas e psicológicas relativamente à doença.

Mais informações

18tm24i
13 de Junho de 2018
1824Pub4f18tm24i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Ordens dos Médicos e dos enfermeiros apreensivas com mudança de ministro

Numa reação à substituição de Adalberto Campos Fernandes por Marta Temido na pasta da Saúde, o basto...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Programa ajuda médicos e população a tomar decisões criteriosas em saúde

 Os profissionais de saúde e a população portuguesa já podem contar com o programa «Choosing Wisely...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Doentes críticos em risco no Hospital Fernando Fonseca 

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) alerta para a «situação de carência extrema de médicos no...

13.10.2018

Mais de metade dos portugueses sem acesso à Reumatologia nos hospitais públ...

Mais de metade dos portugueses (51,8%) não tem acesso a reumatologista nos hospitais públicos, exist...

por Teresa Mendes | 13.10.2018

Dívida dos hospitais às farmacêuticas atinge o valor mais alto de 2018

A dívida total dos hospitais públicos aos laboratórios farmacêuticos atingiu em agosto o valor mais...

11.10.2018

Primeiros testes rápidos são «marco histórico no combate à epidemia» do VIH

«Continuamos em Portugal a diagnosticar os doentes muito tardiamente», alertou o secretário de Estad...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.