Aposta na reforma do SNS «está longe de estar ganha»

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 19.06.2018

Relatório Primavera critica atual governação da saúde
A equipa do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS) encontrou «muitas pedras no caminho» na análise que fez à governação do Ministério da Saúde. O Relatório Primavera 2018 considera que a aposta emblemática da atual legislatura na reforma do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é uma tarefa exigente que «está longe de estar ganha».

O documento, apresentado publicamente esta terça-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, salienta que a proposta de Lei da Saúde Pública, que podia ser uma oportunidade para reforçar e modernizar a Saúde Pública no país, «ainda não foi aprovada»; que os Cuidados de Saúde Primários revelam «carências estruturais, deixando dúvidas quanto ao grau de prioridade desta área para o Governo» e que «os resultados na reforma dos Cuidados Hospitalares são inexistentes, prevalecendo uma clara crise no setor».

Já a rede de Cuidados Continuados Integrados, apesar da abertura de camas nas áreas da saúde mental e pediátrica, «continua longe de atingir a cobertura da população e o caminho para a domiciliação dos cuidados continua sem acontecer».

Episiotomia é «prática obstétrica chocante»

A saúde materno-infantil, um dos grandes sucessos alcançados pela organização de saúde portuguesa, teve destaque de análise no relatório, à luz das novas realidades emergentes em torno do nascimento, considerando que Portugal está entre os países da Europa com mais alta prevalência de cesarianas - 60% nos hospitais privados - e de episiotomias, sendo a frequência desta última «prática obstétrica chocante (≅70%), quando comparada com outros países, como a Dinamarca, que tem cerca de 4%». 

Processos de seleção/nomeação dos membros dos CA «continuam demasiado presos à confiança política»

No capítulo sobre a governação em saúde no SNS, o OPSS analisa o estatuto do gestor público em termos dos processos de nomeação e de avaliação do seu desempenho.
Os autores concluem que «os processos de seleção/nomeação dos membros dos conselhos de administração (CA), apesar de passarem pelo CReSAP, continuam demasiado presos à confiança política».

É também mencionado pelos autores que «a avaliação do desempenho dos membros dos CA, apesar de estar legislada, nunca avançou na prática». Média nacional de despesa out-of-pocket rondou os 71 euros Ao nível da política do medicamento, os investigadores centraram a sua análise nas assimetrias geográficas da despesa com medicamentos.

A equipa do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS) encontrou «muitas pedras no caminho» na análise que fez à governação do Ministério da Saúde. O Relatório Primavera 2018 considera que a aposta emblemática da atual legislatura na reforma do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é uma tarefa exigente que «está longe de estar ganha»

A despesa nacional per capita com medicamentos (PVP) foi de aproximadamente 200 euros, sendo que a média nacional de despesa direta com medicamentos (out-of-pocket) rondou os 71 euros.

O Alentejo e o Centro são as regiões onde os portugueses mais gastam, direta e indiretamente, em medicamentos, não sendo esta diferença inteiramente explicada pelo composição demográfica das regiões. 
No tratamento da pessoa com diabetes é identificada a necessidade de monitorizar e compreender a utilização, muito superior à média de diversos países europeus, de medicamentos mais onerosos.

É ainda apresentado, a título ilustrativo, a mais valia da inclusão formal do farmacêutico na equipa de profissionais de saúde na gestão do doente oncológico geriátrico.

O relatório está disponível para consulta aqui 

18tm25E
19 de Junho de 2018
1825Pub3f18tm25E

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Médicos alertam para rutura na Neonatologia da Maternidade Bissaya Barreto

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) alertou esta quarta-feira para a rutura iminente no se...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.