«No país, a crise económica acabou, mas no setor hospitalar continua»

19.06.2018

Hospitais estão «à beira de um ataque de nervos»
O Relatório Primavera 2018 do Observatório Português dos Sistemas de Saúde apresentado esta terça-feira, em Lisboa, diz que o setor hospitalar está «endividado e à beira de um ataque de nervos», considerando que os hospitais do Serviço Nacional de Saúde continuam marcados pela intervenção da troika.

«No país, a crise económica acabou, mas no setor hospitalar continua», resume o documento.

O quotidiano dos hospitais é marcado pela «ameaça de necessidade de injeção de dinheiro», existindo nas unidades do SNS falta de liquidez e um aumento do stock da dívida a fornecedores, o que «tem conduzido à prática de entregas de verbas a título extraordinário aos hospitais», alerta o OPSS.

Segundo os autores do relatório, isto ocorre em grande parte porque a tesouraria dos hospitais é determinada centralmente pelo controlo de autorizações do Ministério das Finanças, enquanto o ciclo económico das unidades é estabelecido através de um orçamento preparado e monitorizado pelo Ministério da Saúde.
Os hospitais vivem, assim, limitados para realizar despesas correntes e de investimento. 

O Observatório identifica ainda uma estagnação da reforma hospitalar: «O tempo da reforma hospitalar foi afetado não só pelo quadro de restrições financeiras, mas também pela incerteza gerada pela solução governativa inovadora. O tempo de lançamento de reformas estruturantes, tipicamente no início das legislaturas, foi condicionado pela capacidade de obtenção de ganhos rápidos que justificassem a solidez dessa mesma solução».

O Relatório Primavera 2018 do Observatório Português dos Sistemas de Saúde apresentado esta terça-feira, em Lisboa, diz que o setor hospitalar está «endividado e à beira de um ataque de nervos», considerando que os hospitais do Serviço Nacional de Saúde continuam marcados pela intervenção da troika 

Além disso, foi criada uma coordenação nacional para a reforma dos cuidados de saúde hospitalares, mas não são conhecidos os resultados globais do seu funcionamento.

Globalmente, a análise feita ao setor público da saúde nos últimos dois anos aponta para um setor hospitalar endividado, cobertura insuficiente pelos cuidados de saúde primários, medidas simples e efetivas de saúde pública ainda por tomar e cuidados continuados com pequenos desenvolvimentos.

O documento está disponível para consulta aqui

18tm25F
19 de Junho de 2018
1825Pub3f18tm25F

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 EPE estavam em falência técnica no ano passado

Em 2018, metade dos hospitais EPE do país encontrava-se em falência técnica, segundo uma análise do...

06.12.2019

Chefes de cirurgia de Faro recusam fazer urgências a partir de 1 de janeiro

A partir de 1 de janeiro de 2020, os chefes de equipa de Cirurgia do Hospital de Faro vão deixar de...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 Sarampo matou mais de 140 mil pessoas no mundo em 2018

Em 2018, o sarampo foi responsável pela morte de mais de 140.000 pessoas, segundo novas estimativas...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros»

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros, nomeadamente tabaco aquecido. Apre...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

ADSE passa a ser tutelada pelo Ministério da Administração Pública

A ADSE já não é da tutela do Ministério da Saúde. Segundo o regime da organização e funcionamento do...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Reduzir o colesterol mais cedo pode diminuir risco cardiovascular mais tar...

Reduzir os níveis de colesterol com medicamentos em pessoas com menos de 45 anos pode reduzir o risc...

por Teresa Mendes | 04.12.2019

Esperança de vida em Portugal é maior do que na média dos países da EU

A esperança de vida em Portugal «aumentou substancialmente na última década», nomeadamente com a red...

por Teresa Mendes | 04.12.2019

Ministra inaugurou centro de saúde em Ventosa, Torres Vedras

A ministra da Saúde, Marta Temido, inaugurou esta terça-feira, o centro de saúde de São Mamede da Ve...

por Teresa Mendes | 04.12.2019

Iniciativa apela à liquidação de todas as dívidas com mais de 90 dias a for...

A Apifarma, a Confederação Empresarial de Portugal (CIP) e a Associação Cristã de Empresários e Gest...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.