Infarmed aprovou 111 medicamentos inovadores nos últimos dois anos

19.06.2018

Maioria dos fármacos dirigidos ao combate do cancro e sida
A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa.

Na apresentação do balanço de 2017 e das áreas de desenvolvimento até 2019, o Infarmed revelou igualmente que, em abril, o mercado dos genéricos chegou a 48,4% do mercado total, o valor mais alto alguma vez atingido. A utilização de medicamentos biossimilares também aumentou.

Na reunião, que assinalou os 25 anos de atividade daquela instituição, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, salientou a aposta nos medicamentos inovadores e disse que Portugal está «muito bem posicionado em termos internacionais» na área da prevenção e luta contra o HIV.

O dirigente aproveitou a ocasião para adiantar que o Governo quer alargar às farmácias o fornecimento de outros medicamentos até agora apenas disponíveis nas farmácias hospitalares, seguindo o exemplo do que aconteceu com os medicamentos para o HIV.

Garantindo que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está hoje mais forte e a responder melhor às necessidades dos portugueses, e que na área do medicamento os acessos também melhoraram, o ministro disse esperar deixar no próximo ano (fim da legislatura) um SNS «muito melhor» do que aquele que encontrou.

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado, disse à Lusa que no ano passado a instituição evoluiu em todas as áreas, nomeadamente na avaliação de medicamentos, na farmacovigilância e na ligação ao resto da União Europeia.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa 

Como desafios futuros a responsável salientou as áreas da avaliação dos medicamentos e dos ensaios clínicos e a criação de uma nova plataforma que contemple todo o ciclo de vida do medicamento.

Em termos genéricos, apenas em 2017 foram aprovados 60 novos medicamentos inovadores comparticipados pelo SNS, 49 de uso hospitalar e 11 de ambulatório. Na área da hepatite C foram aprovados quatro novos medicamentos e para doenças raras foram aprovados e financiados sete novos medicamentos.

Na sessão foi ainda apresentada a publicação «O Infarmed em 2017», cujo download da versão final pode ser feito aqui

18tm25G
19 de Junho de 2018
1825Pub3f18tm25G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.