Infarmed aprovou 111 medicamentos inovadores nos últimos dois anos

19.06.2018

Maioria dos fármacos dirigidos ao combate do cancro e sida
A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa.

Na apresentação do balanço de 2017 e das áreas de desenvolvimento até 2019, o Infarmed revelou igualmente que, em abril, o mercado dos genéricos chegou a 48,4% do mercado total, o valor mais alto alguma vez atingido. A utilização de medicamentos biossimilares também aumentou.

Na reunião, que assinalou os 25 anos de atividade daquela instituição, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, salientou a aposta nos medicamentos inovadores e disse que Portugal está «muito bem posicionado em termos internacionais» na área da prevenção e luta contra o HIV.

O dirigente aproveitou a ocasião para adiantar que o Governo quer alargar às farmácias o fornecimento de outros medicamentos até agora apenas disponíveis nas farmácias hospitalares, seguindo o exemplo do que aconteceu com os medicamentos para o HIV.

Garantindo que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está hoje mais forte e a responder melhor às necessidades dos portugueses, e que na área do medicamento os acessos também melhoraram, o ministro disse esperar deixar no próximo ano (fim da legislatura) um SNS «muito melhor» do que aquele que encontrou.

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado, disse à Lusa que no ano passado a instituição evoluiu em todas as áreas, nomeadamente na avaliação de medicamentos, na farmacovigilância e na ligação ao resto da União Europeia.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa 

Como desafios futuros a responsável salientou as áreas da avaliação dos medicamentos e dos ensaios clínicos e a criação de uma nova plataforma que contemple todo o ciclo de vida do medicamento.

Em termos genéricos, apenas em 2017 foram aprovados 60 novos medicamentos inovadores comparticipados pelo SNS, 49 de uso hospitalar e 11 de ambulatório. Na área da hepatite C foram aprovados quatro novos medicamentos e para doenças raras foram aprovados e financiados sete novos medicamentos.

Na sessão foi ainda apresentada a publicação «O Infarmed em 2017», cujo download da versão final pode ser feito aqui

18tm25G
19 de Junho de 2018
1825Pub3f18tm25G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.09.2018

Abertas as candidaturas ao Prémio Artur Santos Silva da LPCC

Estão abertas, até ao próximo dia 19 de outubro, as candidaturas ao Prémio Nacional de Oncologia da...

24.09.2018

 Governo quer aumentar taxa sobre o açúcar nos refrigerantes

A taxa máxima do imposto sobre o açúcar nos refrigerantes pode aumentar de 16 para 20 euros por cada...

por Teresa Mendes | 21.09.2018

7.ª Reunião da Vigilância Epidemiológica da Gripe em Portugal

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Insa), em colaboração com a Direção-Geral da Saú...

por Teresa Mendes | 21.09.2018

 «Acesso à saúde é caro e tem de ser pago», alerta Teodora Cardoso

A presidente do Conselho das Finanças Públicas (CFP) alertou esta quinta-feira para a necessidade do...

por Teresa Mendes | 20.09.2018

 Portugueses têm «importantes lacunas no conhecimento sobre a doença cardio...

Um estudo publicado na mais recente edição da Revista Portuguesa de Cardiologia conclui que existem...

20.09.2018

 CE aprova Keytruda® em combinação com pemetrexedo e quimioterapia como 1.ª...

A MSD anunciou que a Comissão Europeia (CE) aprovou pembrolizumab (Keytruda®) em combinação com peme...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.