Infarmed aprovou 111 medicamentos inovadores nos últimos dois anos

19.06.2018

Maioria dos fármacos dirigidos ao combate do cancro e sida
A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa.

Na apresentação do balanço de 2017 e das áreas de desenvolvimento até 2019, o Infarmed revelou igualmente que, em abril, o mercado dos genéricos chegou a 48,4% do mercado total, o valor mais alto alguma vez atingido. A utilização de medicamentos biossimilares também aumentou.

Na reunião, que assinalou os 25 anos de atividade daquela instituição, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, salientou a aposta nos medicamentos inovadores e disse que Portugal está «muito bem posicionado em termos internacionais» na área da prevenção e luta contra o HIV.

O dirigente aproveitou a ocasião para adiantar que o Governo quer alargar às farmácias o fornecimento de outros medicamentos até agora apenas disponíveis nas farmácias hospitalares, seguindo o exemplo do que aconteceu com os medicamentos para o HIV.

Garantindo que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está hoje mais forte e a responder melhor às necessidades dos portugueses, e que na área do medicamento os acessos também melhoraram, o ministro disse esperar deixar no próximo ano (fim da legislatura) um SNS «muito melhor» do que aquele que encontrou.

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado, disse à Lusa que no ano passado a instituição evoluiu em todas as áreas, nomeadamente na avaliação de medicamentos, na farmacovigilância e na ligação ao resto da União Europeia.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou nos últimos dois anos 111 medicamentos inovadores, maioritariamente nas áreas do cancro e da sida, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo organismo, numa sessão, em Lisboa 

Como desafios futuros a responsável salientou as áreas da avaliação dos medicamentos e dos ensaios clínicos e a criação de uma nova plataforma que contemple todo o ciclo de vida do medicamento.

Em termos genéricos, apenas em 2017 foram aprovados 60 novos medicamentos inovadores comparticipados pelo SNS, 49 de uso hospitalar e 11 de ambulatório. Na área da hepatite C foram aprovados quatro novos medicamentos e para doenças raras foram aprovados e financiados sete novos medicamentos.

Na sessão foi ainda apresentada a publicação «O Infarmed em 2017», cujo download da versão final pode ser feito aqui

18tm25G
19 de Junho de 2018
1825Pub3f18tm25G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.12.2018

USF Ilumina dá médico de família a 7200 utentes de S. Domingos de Rana

Foi hoje inaugurada a USF Ilumina, em São Domingos de Rana, numa cerimónia em que participaram o pre...

por Teresa Mendes | 14.12.2018

 Nova Lei de Bases da Saúde abre a porta à exclusividade no SNS

A proposta da Lei de Bases da Saúde, aprovada esta quinta-feira no Conselho de Ministros, abre a por...

por Teresa Mendes | 14.12.2018

 Enfermeiros pagos para continuar a fazer greve

O movimento de enfermeiros que recolhe fundos para a greve prolongada em blocos operatórios angariou...

por Teresa Mendes | 14.12.2018

Doenças respiratórias: Madeira tem maior taxa de mortalidade da Europa

O 13.º relatório do Observatório Nacional de Doenças Respiratórias (ONDR) mostra que as doenças resp...

13.12.2018

Marta Temido diz que «não abundam pediatras no país»

 O bastonário da Ordem dos médicos (OM) apelou esta quarta-feira à ministra da Saúde para que resolv...

13.12.2018

 “Grupo dos 44” quer voltar a ser ouvido sobre Lei de Bases da Saúde

Os 44 subscritores dos «Princípios Orientadores da Saúde para uma Lei de Bases da Saúde» querem ser...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.