Centros de saúde sem acesso aos tempos de espera dos utentes

03.07.2018

ERS já informou o Ministério da Saúde das dificuldades na obtenção dos dados
A Entidade Reguladora da Saúde diz estar a enfrentar grandes dificuldades para conseguir monitorizar os tempos de espera no SNS. Num comunicado, a reguladora diz que os centros de saúde «não dispõem de acesso às bases de dados em que está registada a informação sobre o tempo de espera de cada utente, nem tampouco é possível obter essa mesma informação junto das Administrações Regionais de Saúde».

«A informação sobre os utentes atendidos nos cuidados de saúde primários encontra-se centralizada nos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), sendo certo que os próprios agrupamentos de centros de saúde (Aces) avaliam o cumprimento dos tempos máximos de resposta garantidos (TMRG) nas suas unidades apenas através de informação agregada remetida pelos SPMS», alerta o organismo num comunicado

O panorama relativamente às unidades hospitalares é um pouco melhor, mas, de acordo com a ERS, «constatou-se uma falta de uniformização no tipo de dados remetidos, dada a diversidade de sistemas informáticos existentes, o que no caso dos meios complementares de diagnóstico e terapêutica impossibilitou a avaliação dos tempos de espera».

Os centros de saúde «não dispõem de acesso às bases de dados em que está registada a informação sobre o tempo de espera de cada utente, nem tampouco é possível obter essa mesma informação junto das Administrações Regionais de Saúde», alerta a Entidade Reguladora da Saúde 

Nas cirurgias e primeiras consultas hospitalares os dados permitiram a realização de alguma análise aos tempos de espera, «embora com limitações na comparabilidade entre prestadores». A reguladora adverte ainda que «nem todos os hospitais dispõem da ferramenta para extração de dados, estando dependentes da intermediação da Administração Central do Sistema de Saúde, o que dificulta o processo de recolha e envio de dados». 

O organismo diz ter dado já conhecimento ao Ministério da Saúde das dificuldades verificadas na obtenção dos dados necessários para a monitorização dos TMRG.

18tm27H
03 de Julho de 2018
1827Pub3f18tm27H

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.10.2019

Investigação portuguesa comprova impacto da redução do consumo de sal na sa...

Um estudo inédito em Portugal concluiu que «a diminuição da ingestão de sal e o aumento da ingestão...

por Teresa Mendes | 17.10.2019

 Morrem prematuramente em Portugal quase 6 mil pessoas devido à poluição

Em 2016, morreram prematuramente em Portugal quase 6 mil pessoas devido à poluição do ar. A conclusã...

por Teresa Mendes | 17.10.2019

 USF modelo B: Regime retributivo «deve ser alargado a todos os profissiona...

O Conselho Consultivo da Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) considera, no q...

por Teresa Mendes | 16.10.2019

 Médicos contestam manutenção de Marta Temido na pasta da Saúde

Após um ano marcado pela contestação, Marta Temido vê o seu mandato como ministra da Saúde renovado...

por Teresa Mendes | 16.10.2019

 Hospitais que criarem mais pagamentos em atraso devem ser auditados

O economista Pedro Pita Barros sugere ao novo Governo, prestes a iniciar funções, que passe a public...

por Teresa Mendes | 16.10.2019

Festival Mental 2019 é já em novembro, em Lisboa e Porto

Lisboa e Porto vão poder assistir ao Festival Mental em novembro.<br /> A inauguração é no dia 1 e...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.