Médicos sem especialidade podem vir a reforçar INEM

20.07.2018

Proposta do Sindicato Independente dos Médicos
Os médicos que não conseguiram a especialidade por falta de vaga podem vir a reforçar o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
O assunto foi proposto pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e está a ser discutido com a Ordem dos Médicos (OM).

«O SIM não se opõe a quem defende que médicos que não tiveram acesso a uma especialidade possam, depois de formação coordenada pela OM e pelo INEM, exercer aquelas tarefas no curto prazo até à criação da especialidade em Medicina de Urgência e Emergência», salienta um comunicado do SIM publicado esta quinta-feira 

Esta pode mesmo ser uma solução para a escassez de recursos humanos no INEM, uma situação está a provocar «dificuldades efetivas» para garantir o funcionamento do seu dispositivo, como já admitiu o organismo.

Os médicos que não conseguiram a especialidade por falta de vaga podem vir a reforçar o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). O assunto foi proposto pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e está a ser discutido com a Ordem dos Médicos

«O INEM tem apenas três médicos no quadro, que estão no Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU); 40% da atividade do INEM é feita com recurso a tarefeiros, não há um único médico do quadro nas viaturas médicas. É, portanto, uma área em que os médicos sem especialidade podem ser aproveitados», defendeu o secretário-geral do SIM, Jorge Roque da Cunha, em declarações ao Diário de Notícias.

18tm29R
20 de Julho de 2018
1829Pub6f18tm29R

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 16.10.2018

 Administração do Hospital de Braga garante que Serviço de Obstetrícia é se...

A administração do Hospital de Braga garante, no que diz respeito ao funcionamento do seu Serviço de...

por Elga Freire | 14.10.2018

 Cuidados Paliativos beneficiam doentes crónicos em fases precoces

 Opinião de Elga Freire<br /> <br /> Com o aumento da longevidade, as populações ficam mais envelh...

por Teresa Mendes | 16.10.2018

 Mais 523 milhões de euros para a Saúde em 2019

O Ministério da Saúde vai dispor de mais 523,3 milhões de euros para gastar em 2019, num total de 10...

16.10.2018

Estudo revela «enormes diferenças regionais» nas cirurgias à coluna

No Dia Mundial da Coluna, que se assinala esta terça-feira, 16 de outubro, um estudo revela que exis...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

 Abertas as candidatura aos «Prémios Maratona da Saúde em Investigação Biom...

Estão abertas as candidaturas aos «Prémios Maratona da Saúde em Investigação Biomédica», uma iniciat...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Programa ajuda médicos e população a tomar decisões criteriosas em saúde

 Os profissionais de saúde e a população portuguesa já podem contar com o programa «Choosing Wisely...

por Teresa Mendes | 13.10.2018

Dívida dos hospitais às farmacêuticas atinge o valor mais alto de 2018

A dívida total dos hospitais públicos aos laboratórios farmacêuticos atingiu em agosto o valor mais...

11.10.2018

Primeiros testes rápidos são «marco histórico no combate à epidemia» do VIH

«Continuamos em Portugal a diagnosticar os doentes muito tardiamente», alertou o secretário de Estad...

11.10.2018

Maioria dos portugueses diz que saúde não é uma prioridade para o Governo

Três em cada quatro portugueses consideram que a saúde não é uma prioridade para o Governo, apontand...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.