Unidade é «a materialização de um sonho que era fundamental»

por Teresa Mendes | foto de www.sns.gov.pt | 31.07.2018

CHSJ inaugura Unidade de Cuidados Paliativos
Foi inaugurada esta segunda-feira a Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital São João (CHSJ), no Porto.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, presidiu à cerimónia de inauguração desta nova unidade que conta com 12 camas e um aumento de profissionais, nomeadamente enfermeiros e assistentes operacionais, que eleva para 40 o número de recursos humanos disponíveis no serviço.

Na ocasião, a diretora do Serviço de Cuidados Paliativos do CHSJ, Edna Gonçalves, salientou que a Unidade agora inaugurada «é a materialização de um sonho que era fundamental».

«O rácio definido pelo plano estratégico foi cumprido nesta unidade: além dos seis enfermeiros que já tínhamos, chegaram mais 15, temos nove assistentes operacionais quando não havia nenhum, passamos a ter também um assistente técnico e vamos aumentar o apoio de Psicologia e de assistência social.

Virá também mais uma médica que nos permitirá ter médico sete dias por semana, 12 horas por dia», salientou a responsável.

Ao todo serão cerca de 40 profissionais em todo o serviço, afirmou Edna Gonçalves, acrescentando que vão ser assistidos «doentes oncológicos e não oncológicos, com doenças neuromusculares, com demência em situação complexa, com insuficiência respiratória, cardíaca, hepática, hematológica e doentes transplantados, todo o tipo de doentes com doenças incuráveis».

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde destacou o «momento histórico» da inauguração de «uma unidade para doentes altamente complexos, que vai servir de formação, de escola, a outros profissionais de saúde, que vai ser local de investigação» e que, acima de tudo, «vai dar uma resposta aos utentes e suas famílias numa área que é carenciada e na qual o Governo quer investir».

A diretora do Serviço de Cuidados Paliativos do CHSJ, Edna Gonçalves, salientou que a Unidade agora inaugurada «é a materialização de um sonho que era fundamental» 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, anualmente, mais de 40 milhões de pessoas necessitem de cuidados paliativos em todo o mundo e reconhece a eficiência e custo-efetividade de diversas formas de organização de cuidados paliativos no alívio do sofrimento.

18tm31H
31 de Julho de 2018
1831Pub2f18tm31H

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

SIM pondera convocar greve dos médicos do Instituto Nacional de Medicina Le...

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) pondera o «endurecimento das formas de luta», nomeadament...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

APDIP reclama estatuto de doença crónica para as imunodeficiências primária...

Na semana mundial dedicada às imunodeficiências Primárias, que se assinala de 22 a 29 de abril, a As...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

Instituto de Medicina Legal passa a realizar autópsias aos fins-de-semana e...

O Conselho de Ministros (CM) aprovou nesta quinta-feira a proposta de lei que permite ao Instituto N...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

Fisioterapeutas contra regulamento do Acto Médico

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (Apfisio) está contra o projeto de regulamento do Acto Mé...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

 Luís Martins Amaro nomeado novo presidente do Hospital Garcia de Orta

O actual diretor executivo do agrupamento de centros de saúde Almada-Seixal, Luís Manuel Martins Ama...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.