Internos sem tutela: Hospital de Egas Moniz compromete-se a corrigir situação

foto de ordemdosmedicos.pt | 09.08.2018

OM avança com auditoria caso o problema não seja resolvido até outubro
A Ordem dos Médicos (OM) chegou a acordo com o Hospital de Egas Moniz, em Lisboa, para a correção de casos de profissionais em formação que trabalham sem a tutela de um especialista. Se situação não for resolvida até outubro, o organismo não descarta avançar com uma auditoria.

«Chegamos a um acordo no sentido de que a situação seja corrigida rapidamente», afirmou esta quarta-feira o bastonário da OM, que explicou que a visita que fez ao hospital «pretende resolver de forma pacífica e célere esta situação e não [avançar com] uma auditoria».

Uma auditoria «é o que acontecerá a seguir, se eventualmente a situação não for resolvida até outubro», avançou ainda Miguel Guimarães aos jornalistas no final de uma conversa com os médicos internos, a administração do hospital, o diretor clínico e o diretor do internato médico.

Recorde-se que a deslocação do dirigente a esta unidade de saúde aconteceu no seguimento de denúncias de irregularidades no cumprimento dos programas de formação, em algumas especialidades, nomeadamente na Reumatologia, Endocrinologia e Pneumologia.

A Ordem dos Médicos chegou a acordo com o Hospital de Egas Moniz, em Lisboa, para a correção de casos de profissionais em formação que trabalham sem a tutela de um especialista. Se situação não for resolvida até outubro, o organismo não descarta avançar com uma auditoria 

«Os nossos médicos são desejados em todo o mundo devido à elevada qualidade da formação e a Ordem reage sempre que recebe um alerta de que os programas de formação não estão a ser cumpridos da forma que têm obrigatoriamente de ser e que alguns destes internos, em determinadas circunstâncias, fazem urgência sem tutela de um especialista.
Isto para a Ordem dos Médicos é totalmente inaceitável», realçou o bastonário, que também publicou um comunicado sobre o assunto no site da OM.

Na visita e nas reuniões estiveram ainda presentes o presidente do Conselho Regional do Sul da OM, Alexandre Valentim Lourenço; a presidente do Conselho Nacional do Médico Interno, Catarina Perry da Câmara; o presidente da Sub-região da Grande Lisboa da OM, Anselmo Costa; o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos, Jorge Roque da Cunha; e o presidente da Federação Nacional dos Médicos, João Proença.

18tm32m
09 de Agosto de 2018
1832Pub5f18tm32m

Publicada originalmente em www.univadis

E AINDA

14.08.2018

Centro Hospitalar de Leiria está a trabalhar «no limite»

O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), Helder Roque, alerto...

por Teresa Mendes | 14.08.2018

 Hipertensão é o principal problema de saúde dos utentes da ARSLVT

A hipertensão é o principal problema de saúde dos utentes dos cuidados de saúde primários da Adminis...

por Teresa Mendes | 14.08.2018

Doentes continuam sem acesso à nutrição parentérica no ambulatório

A nutrição parentérica ou entérica continua a não estar acessível aos doentes que dela precisam nos...

14.08.2018

Horas de sono a mais aumentam risco cardiovascular

Dormir menos do que sete horas diárias ou mais do que as oito recomendadas pode aumentar o risco de...

por Teresa Mendes | 13.08.2018

Especialistas portugueses integram missão contra o Ébola

Três especialistas portugueses vão integrar uma missão internacional de prevenção e resposta rápida...

por Teresa Mendes | 13.08.2018

Concurso de colocação dos médicos recém-especialistas é uma «falácia»

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) considera o concurso de colocação dos médicos recém-especial...

13.08.2018

IPO de Lisboa regista aumento de quase 30% da produção científica

 O Anuário da Atividade Científica 2017 do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa já pode...

13.08.2018

Recolha de resíduos de medicamentos aumentou 8%

A Valormed recolheu 560 toneladas de resíduos de medicamentos no primeiro semestre de 2018, mais 8%...

10.08.2018

CHVNGE realiza cirurgia inovadora que evita remoção total do pulmão

O Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia e Espinho (CHVNGE) realizou, pela primeira vez em Portugal,...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.