IPO de Lisboa regista aumento de quase 30% da produção científica

13.08.2018

Anuário da Atividade Científica 2017 já está disponível na internet
 O Anuário da Atividade Científica 2017 do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa já pode ser consultado na intranet e na internet.

A sétima edição desta publicação confirma um crescimento entre os 25 e os 29% na produção científica desenvolvida por médicos, investigadores e outros profissionais de saúde.

O «crescimento traduz-se por um aumento do número de publicações – mais 134 – e de estudos – mais 59 – comparativamente ao ano de 2016, o que corresponde a um crescimento de 25% e 29%», conclui o documento que pode ser consultado em formato digital.

Carla Pereira, do Centro de Investigação, escreve o texto de enquadramento da atividade científica desenvolvida no IPO Lisboa, e Manuel Sobrinho Simões, professor emérito da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, é o autor da introdução.

«A publicação regular da produção científica desenvolvida no IPO Lisboa a partir da ligação do seu Centro de Investigação com os departamentos clínicos é, talvez, o meio mais poderoso de divulgação entre os profissionais e os aprendizes de profissional tanto do próprio Instituto, como de muitas outras instituições que se dedicam à investigação em Oncologia e ao tratamento de doentes oncológicos», salienta Sobrinho Simões no texto introdutório.

Em 2017 o IPO de Lisboa registou um aumento da produção científica desenvolvida por médicos, investigadores e outros profissionais de saúde na ordem dos 25-29%

Na opinião do diretor do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, os anuários são também «um meio poderosíssimo de auxílio à formação desses profissionais, numa altura em que a chamada “medicina oncológica”, depois de bater no fundo da “precisão e dos big data”, está a regressar a modelos cada vez mais interessantes (e desafiantes) de “personalização” a nível diagnóstico e terapêutico».

O Anuário pode ser acedido na íntegra aqui

18tm33B
13 de Agosto de 2018
1833Pub2f18tm33B


Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 11.12.2019

 Secretário de Estado louva o que de «bom, ótimo e excelente» se faz no HSM

No 65.º aniversário do Hospital de Santa Maria (HSM), o secretário de Estado da Saúde elogiou o que...

11.12.2019

Médicos e administradores defendem estratégia nacional para a Medicina de P...

Portugal precisa de uma estratégia nacional para a Medicina de Precisão, defendem administradores ho...

por Teresa Mendes | 11.12.2019

 E que tal fazer deste Natal… um «Natal Diferente»?

As associações de estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e da Faculdad...

por Teresa Mendes | 11.12.2019

3.º Fórum do Conselho Nacional de Saúde decorre a 16 de dezembro

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) organiza, no próximo dia 16 de dezembro, no Auditório António de...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Ordem lamenta que ministra esconda realidade do Algarve

Em resposta às declarações da ministra da Saúde, que na passada sexta-feira disse, na sequência dos...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Risco de queda passa a ser avaliado em todos os doentes internados

Por proposta conjunta do Departamento da Qualidade na Saúde, da Ordem dos Médicos e da Ordem dos Enf...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.