Investigadores descobrem forma de comer sem engordar

16.08.2018

Descoberta em modelo animal foi sem querer
Ao tentarem criar um rato obeso, investigadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos conseguiram, em vez disso, desenvolver um modelo animal que come em excesso, mas não engorda.
Segundo os cientistas isso aconteceu após terem bloqueado determinados vasos linfáticos.

Anne Eichmann e Feng Zang pretendiam estudar a obesidade mórbida em ratinhos de laboratório e para isso inibiram dois genes no intestino dos ratinhos.

Com a ajuda de fármacos, os investigadores bloquearam alguns vasos linfáticos deste animais, mas o resultado surpreendeu o grupo de investigação: mesmo com uma dieta rica em gordura, os animais mantiveram o peso inicial.

Com a modificação provocada nos vasos linfáticos, os ratos deixaram de absorver a gordura e passaram a excretá-la evitando, assim, o aumento de peso.

«Criamos um rato que come gordura, mas não engorda», concluiu Eichman, num estudo publicado esta semana na revista Science

De acordo com o artigo denominado «Lacteal junction zippering protects against diet-induced obesity», os linfáticos capilares atuam como porta de entrada dos ácidos gordos, permitindo que estes sigam para a corrente sanguínea, transformando-se em energia ou gordura.

Ao tentarem criar um rato obeso, investigadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos conseguiram, em vez disso, desenvolver um modelo animal que come em excesso, mas não engorda 

Os investigadores descartam, para já, a possibilidade de aplicar a técnica a seres humanos, no entanto, frisam que o estudo poderá abrir portas para novas formas de combater a absorção de gordura pelo organismo humano.

18tm33i
16 de Agosto de 2018
1833Pub5f18tm33i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 16.10.2018

 Administração do Hospital de Braga garante que Serviço de Obstetrícia é se...

A administração do Hospital de Braga garante, no que diz respeito ao funcionamento do seu Serviço de...

por Elga Freire | 14.10.2018

 Cuidados Paliativos beneficiam doentes crónicos em fases precoces

 Opinião de Elga Freire<br /> <br /> Com o aumento da longevidade, as populações ficam mais envelh...

por Teresa Mendes | 16.10.2018

 Mais 523 milhões de euros para a Saúde em 2019

O Ministério da Saúde vai dispor de mais 523,3 milhões de euros para gastar em 2019, num total de 10...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

 Abertas as candidatura aos «Prémios Maratona da Saúde em Investigação Biom...

Estão abertas as candidaturas aos «Prémios Maratona da Saúde em Investigação Biomédica», uma iniciat...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Programa ajuda médicos e população a tomar decisões criteriosas em saúde

 Os profissionais de saúde e a população portuguesa já podem contar com o programa «Choosing Wisely...

por Teresa Mendes | 15.10.2018

Doentes críticos em risco no Hospital Fernando Fonseca 

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) alerta para a «situação de carência extrema de médicos no...

por Teresa Mendes | 13.10.2018

Dívida dos hospitais às farmacêuticas atinge o valor mais alto de 2018

A dívida total dos hospitais públicos aos laboratórios farmacêuticos atingiu em agosto o valor mais...

11.10.2018

Primeiros testes rápidos são «marco histórico no combate à epidemia» do VIH

«Continuamos em Portugal a diagnosticar os doentes muito tardiamente», alertou o secretário de Estad...

11.10.2018

Maioria dos portugueses diz que saúde não é uma prioridade para o Governo

Três em cada quatro portugueses consideram que a saúde não é uma prioridade para o Governo, apontand...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.