Portugal mantém estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola

por Teresa Mendes | 22.08.2018

Numa altura em que a Europa regista número recorde de casos de sarampo
Portugal obteve o estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola relativo a 2017, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Comissão Regional de Verificação da Eliminação do Sarampo e da Rubéola da Região Europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciou esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde.

O organismo recorda que o nosso país obteve pela primeira vez este estatuto em 2015, o qual tem vindo a manter ao longo dos anos, para o qual têm contribuído o cumprimento de critérios rigorosos definidos pela OMS, nomeadamente a existência de elevadas coberturas vacinais, bem como, a resposta atempada e célere dos serviços de saúde a eventuais casos.

O comunicado lembra que na sequência do crescente número de casos de sarampo registados na Região Europeia da OMS em 2016 e início de 2017, o sarampo ressurgiu em Portugal em fevereiro de 2017, levando a dois surtos com um total de 27 casos confirmados em duas regiões de saúde, entre fevereiro e maio de 2017 e ainda a dois casos isolados importados.

Numa altura em que a Europa lida com um número recorde de casos de sarampo, Portugal obteve o estatuto de eliminação da doença, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Organização Mundial da Saúde 

Contudo, a forte aposta no Programa Nacional de Eliminação do Sarampo e no Programa Nacional de Vacinação coordenados pela Direção-Geral da Saúde e a articulação com os serviços de saúde «foram essenciais para o rápido controlo dos surtos ocorridos e fundamentais para a manutenção do estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola».

Em 2018, até à data, foram confirmados 114 casos de sarampo em Portugal (três surtos e dois casos isolados), todos associados à importação da doença, diz ainda a nota à Imprensa

18tm34i
22 de Agosto de 2018
1834Pub4f18tm34i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.06.2019

Rui Ivo volta a ser presidente do Infarmed

Rui Ivo é nomeado, pela segunda vez, presidente da direção do Infarmed.<br /> A nomeação do Conselh...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 Médicos estão cada vez mais receosos quando têm que denunciar insuficiênci...

Os profissionais de saúde têm «cada vez mais receio» de denunciar situações de insuficiências ou mau...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 IPO Lisboa apela à dádiva de sangue

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Ser...

14.06.2019

Taxas moderadoras nos centros de saúde com fim à vista

A proposta do Bloco de Esquerda que dita o fim das taxas moderadoras nos centros de saúde vai ser vo...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Médicos com alojamento assegurado para reforço de cuidados de saúde no verã...

 A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve vai assegurar residência aos médicos que queiram...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Argumentos que pretendem proibir PPP na saúde «não são razoáveis»

Numa altura em que foi adiada a votação do artigo sobre as PPP da Lei de Bases da Saúde para o próxi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.