Portugal mantém estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola

por Teresa Mendes | 22.08.2018

Numa altura em que a Europa regista número recorde de casos de sarampo
Portugal obteve o estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola relativo a 2017, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Comissão Regional de Verificação da Eliminação do Sarampo e da Rubéola da Região Europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciou esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde.

O organismo recorda que o nosso país obteve pela primeira vez este estatuto em 2015, o qual tem vindo a manter ao longo dos anos, para o qual têm contribuído o cumprimento de critérios rigorosos definidos pela OMS, nomeadamente a existência de elevadas coberturas vacinais, bem como, a resposta atempada e célere dos serviços de saúde a eventuais casos.

O comunicado lembra que na sequência do crescente número de casos de sarampo registados na Região Europeia da OMS em 2016 e início de 2017, o sarampo ressurgiu em Portugal em fevereiro de 2017, levando a dois surtos com um total de 27 casos confirmados em duas regiões de saúde, entre fevereiro e maio de 2017 e ainda a dois casos isolados importados.

Numa altura em que a Europa lida com um número recorde de casos de sarampo, Portugal obteve o estatuto de eliminação da doença, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Organização Mundial da Saúde 

Contudo, a forte aposta no Programa Nacional de Eliminação do Sarampo e no Programa Nacional de Vacinação coordenados pela Direção-Geral da Saúde e a articulação com os serviços de saúde «foram essenciais para o rápido controlo dos surtos ocorridos e fundamentais para a manutenção do estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola».

Em 2018, até à data, foram confirmados 114 casos de sarampo em Portugal (três surtos e dois casos isolados), todos associados à importação da doença, diz ainda a nota à Imprensa

18tm34i
22 de Agosto de 2018
1834Pub4f18tm34i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.