Portugal mantém estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola

por Teresa Mendes | 22.08.2018

Numa altura em que a Europa regista número recorde de casos de sarampo
Portugal obteve o estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola relativo a 2017, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Comissão Regional de Verificação da Eliminação do Sarampo e da Rubéola da Região Europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciou esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde.

O organismo recorda que o nosso país obteve pela primeira vez este estatuto em 2015, o qual tem vindo a manter ao longo dos anos, para o qual têm contribuído o cumprimento de critérios rigorosos definidos pela OMS, nomeadamente a existência de elevadas coberturas vacinais, bem como, a resposta atempada e célere dos serviços de saúde a eventuais casos.

O comunicado lembra que na sequência do crescente número de casos de sarampo registados na Região Europeia da OMS em 2016 e início de 2017, o sarampo ressurgiu em Portugal em fevereiro de 2017, levando a dois surtos com um total de 27 casos confirmados em duas regiões de saúde, entre fevereiro e maio de 2017 e ainda a dois casos isolados importados.

Numa altura em que a Europa lida com um número recorde de casos de sarampo, Portugal obteve o estatuto de eliminação da doença, de acordo com a última avaliação anual efetuada pela Organização Mundial da Saúde 

Contudo, a forte aposta no Programa Nacional de Eliminação do Sarampo e no Programa Nacional de Vacinação coordenados pela Direção-Geral da Saúde e a articulação com os serviços de saúde «foram essenciais para o rápido controlo dos surtos ocorridos e fundamentais para a manutenção do estatuto de eliminação do sarampo e da rubéola».

Em 2018, até à data, foram confirmados 114 casos de sarampo em Portugal (três surtos e dois casos isolados), todos associados à importação da doença, diz ainda a nota à Imprensa

18tm34i
22 de Agosto de 2018
1834Pub4f18tm34i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Médicos alertam para rutura na Neonatologia da Maternidade Bissaya Barreto

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) alertou esta quarta-feira para a rutura iminente no se...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

19.03.2019

 Consultar o doente pelo telemóvel vai ser uma realidade

Até ao final de junho a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) vai começar a testar uma...

por Teresa Mendes | 19.03.2019

 Médicos lançam «Ossos Fortes» para alertar para os riscos da osteoporose

A osteoporose está na origem de cerca de 40 mil fraturas por ano em Portugal, representando um impac...

por Teresa Mendes | 18.03.2019

 Autonomia na contratação sim, mas médicos ficam de fora 

Um despacho da ministra da Saúde e do secretário de Estado do Tesouro, publicado hoje no Diário da R...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.