Formação em DAE pode vir a ser obrigatória para todos os novos condutores

22.08.2018

Recomendação do grupo de trabalho criado pelo Ministério da Saúde
Um grupo de trabalho criado pelo Ministério da Saúde recomenda que a formação em suporte básico de vida e desfibrilhação automática externa (DAE) seja alargada de forma obrigatória a mais grupos profissionais e ainda a todos os que estejam a tirar a carta de condução.

O objetivo é que sejam cada vez mais as pessoas que saibam como atuar perante uma paragem cardiorrespiratória com recurso aos dispositivos instalados em locais públicos.

As recomendações do grupo de trabalho passam por formar forças de segurança, como a PSP, Polícia Municipal, GNR e Polícia Marítima, muitas vezes, os primeiros a chegar após um pedido de socorro, mas também nadadores salvadores, tripulação de aviões, tripulantes de ambulâncias (mesmo de transporte não urgente) e vigilantes de empresas de segurança.

Segundo a edição de hoje do Jornal de Notícias, este grupo defende ainda que a formação seja obrigatória para quem esteja a tirar a cartas de condução, seja qual for a categoria de veículos, e para os alunos do Ensino Secundário e dos cursos superiores de Ciências da Saúde e de Desporto.

Quanto à localização dos desfibrilhadores automáticos externos, pretende-se que estes dispositivos passem a estar disponíveis nos locais onde passem em média pelo menos mil pessoas por dia.

As recomendações do grupo de trabalho passam por formar forças de segurança, como a PSP, Polícia Municipal, GNR e Polícia Marítima, mas também nadadores salvadores, tripulação de aviões, tripulantes de ambulâncias (mesmo de transporte não urgente) e vigilantes de empresas de segurança

Assim, centros comerciais, hotéis, monumentos, áreas de diversão, embarcações turísticas, comboios de longo curso, aeronaves comerciais ou ginásios também podem passar a estar equipados.

O relatório final do grupo de trabalho criado para estudar a Requalificação do Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa está em discussão pública e pode ser consultado aqui
 
18tm34K
22 de Agosto de 2018
1834Pub4f18tm34K

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.02.2019

Fnam pede intervenção do CNS para reformular organização dos hospitais 

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) apela ao presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS) para...

15.02.2019

 Ministério da Saúde vai abrir novas convenções na área da hemodiálise

O Ministério da Saúde vai abrir novas convenções com prestadores para a área da hemodiálise, esperan...

por Teresa Mendes | 15.02.2019

Publicado o primeiro manual de apoio à pessoa com doença rara

As pessoas com doença rara têm, pela primeira vez, acesso a um manual de apoio, que compila informaç...

por Teresa Mendes | 14.02.2019

Desde 2013 que o SNS não fazia tão poucas cirurgias

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) registou um aumento da atividade assistencial em 2018, quer no núm...

por Teresa Mendes | 14.02.2019

O BREXIT explicado às empresas do setor da Saúde

Para esclarecer a questão do BREXIT às empresas portuguesas do setor da Saúde, a AICEP organiza, em...

14.02.2019

 Spray nasal para tratar depressão recomendado pela FDA

O Comité Consultivo da FDA recomendou esta terça-feira a aprovação do Spravato™(esketamina), um spra...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.