Registo Nacional de Paragem Cardiorrespiratória vai avançar

por Teresa Mendes | 23.08.2018

Assinado protocolo entre o INEM, a SPC e o CPR
O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) e o Conselho Português de Ressuscitação (CPR) assinaram um protocolo de colaboração para a criação do Registo Nacional de Paragem Cardiorrespiratória (PCR), anunciou o INEM.

O objetivo é que esta ferramenta «permita conhecer melhor a realidade nacional e planear ações futuras», nomeadamente no que diz respeito à disponibilização do acesso à desfibrilhação precoce, um dos elos da cadeia de sobrevivência, pode ler-se na nota à Imprensa divulgada esta terça-feira


A assinatura deste protocolo surge na sequência de uma das conclusões do Grupo de Trabalho para a Requalificação do Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa, que defende a criação de um Registo Nacional de PCR, «para o qual devem contribuir todas as entidades (públicas ou privadas) com responsabilidades na resposta a estes casos».

Além da elaboração de um registo nacional contínuo de PCR, o grupo de trabalho sugere a realização de um registo piloto (tipo snapshot) a efetuar em curtos períodos de tempo e em locais selecionados no país, no qual seriam registados todos os detalhes dos casos de PCR -  desde o conhecimento do perfil prévio das vítimas, aos detalhes do evento propriamente dito, mas também do seguimento dos casos em que tenha sido conseguida a recuperação das vítimas, incluindo os dados intra-hospitalares, da alta hospitalar e do follow-up.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) e o Conselho Português de Ressuscitação (CPR) assinaram um protocolo de colaboração para a criação do Registo Nacional de Paragem Cardiorrespiratória (PCR) 

Por fim, é também sugerida a inclusão dos registos nacionais de PCR no registo europeu EuReCa.

As três entidades sublinham que este protocolo é «um passo importante para melhor caraterizar os casos de PCR em território nacional».  


18tm34O
23 de Agosto de 2018
1834Pub5f18tm34O

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.07.2019

 Transplante de órgãos aumentou 2% no primeiro semestre de 2019

A transplantação de órgãos em Portugal aumentou no primeiro semestre do ano em cerca de 2% - o equiv...

por Teresa Mendes | 22.07.2019

Aprovada a nova Lei de Bases da Saúde

Após vários avanços e recuos, o Parlamento aprovou sexta-feira o diploma da Lei de Bases da Saúde, q...

22.07.2019

Seguro público na Saúde é «aumento encapotado de impostos»

Em resposta à ideia de Francisco Ramos, secretário de Estado da Saúde, de criar um «um seguro comple...

por Teresa Mendes | 22.07.2019

 Nove em cada 10 idosos seguidos CSP sentem-se sozinhos

Nove em cada 10 idosos seguidos nos cuidados de saúde primários (CSP) sentem algum grau de solidão,...

por Teresa Mendes | 19.07.2019

 18.º ENIJMF vai apostar em sessões out-of-the-box!

Este ano, em Évora, o 18.º Encontro de Internos e Jovens Médicos de Família (ENIJMF) «fará uma grand...

por Teresa Mendes | 18.07.2019

«A situação na saúde no Algarve é muito grave»

Faltam meios humanos, técnicos e infraestruturais no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHU...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.