Portugal sem «normas sobre testes laboratoriais» para confirmar IST

por Teresa Mendes | 12.09.2018

Insa promove jornadas sobre infeções sexualmente transmissíveis 
Embora exista legislação em Portugal que obriga à confirmação laboratorial de várias Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST), a verdade é que à exceção do que acontece para o VIH, «não existem normas nacionais sobre os testes laboratoriais a usar para outras IST, mesmo as de notificação obrigatória», alerta o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (Insa).

Por outro lado, adverte ainda este organismo, «os testes atualmente adequados não constam das tabelas de comparticipação de análises clínicas, dificultando o conhecimento real da situação nacional em termos de IST».

Estes são, aliás, temas que estarão em debate nas «II Jornadas IST – Infeções Sexualmente Transmissíveis em diferentes especialidades médicas», no dia 23 de outubro, no auditório do Insa, em Lisboa.
A iniciativa tem como objetivo principal «contribuir para um melhor diagnóstico das IST em Portugal, com vista a sua prevenção e tratamento adequados», salienta um comunicado.

Destinado a profissionais de saúde que intervêm na prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, em particular dermatovenereologistas, infeciologistas, ginecologistas, urologistas, clínicos de Medicina Geral e Familiar, entre outros, o evento, organizado pelo Departamento de Doenças Infeciosas do Insa, pretende também «promover o diálogo entre clínicos e profissionais de laboratório sobre a otimização do diagnóstico como medida de prevenção da aquisição e da transmissão das IST», destaca a nota à Imprensa. 

As jornadas visam ainda «espelhar a diversidade e o impacto para a saúde de diversas patologias causadas por microrganismos que se transmitem por contacto sexual».

O programa científico das jornadas prevê a realização de várias mesas redondas subordinadas aos temas «IST na Infeciologia», «IST na Obstetrícia e na Pediatria», «IST na Dermatovenereologia», «IST nos Cuidados de Saúde Primários», «IST na Urgência Hospitalar», «IST na Otorrinolaringologia», «IST na Gastroenterologia» e «IST na Ginecologia».

Embora exista legislação em Portugal que obriga à confirmação laboratorial de várias Infeções Sexualmente Transmissíveis, «não existem normas nacionais sobre os testes laboratoriais a usar para outras IST, mesmo as de notificação obrigatória», alerta o Insa

O comunicado lembra que apesar da existência de várias estratégias de saúde pública com vista ao controlo da disseminação das IST, a Organização Mundial da Saúde estima que «a maioria dos casos não seja diagnosticada e que seja tratada de forma sindrómica, sem qualquer diagnóstico laboratorial».

Os interessados em participar no evento deverão efetuar a sua inscrição até dia 19 de outubro através do preenchimento do seguinte formulário 

18tm37K
12 de Setembro de 2018
1837Pub4f18tm37K

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.