Portugal sem «normas sobre testes laboratoriais» para confirmar IST

por Teresa Mendes | 12.09.2018

Insa promove jornadas sobre infeções sexualmente transmissíveis 
Embora exista legislação em Portugal que obriga à confirmação laboratorial de várias Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST), a verdade é que à exceção do que acontece para o VIH, «não existem normas nacionais sobre os testes laboratoriais a usar para outras IST, mesmo as de notificação obrigatória», alerta o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (Insa).

Por outro lado, adverte ainda este organismo, «os testes atualmente adequados não constam das tabelas de comparticipação de análises clínicas, dificultando o conhecimento real da situação nacional em termos de IST».

Estes são, aliás, temas que estarão em debate nas «II Jornadas IST – Infeções Sexualmente Transmissíveis em diferentes especialidades médicas», no dia 23 de outubro, no auditório do Insa, em Lisboa.
A iniciativa tem como objetivo principal «contribuir para um melhor diagnóstico das IST em Portugal, com vista a sua prevenção e tratamento adequados», salienta um comunicado.

Destinado a profissionais de saúde que intervêm na prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, em particular dermatovenereologistas, infeciologistas, ginecologistas, urologistas, clínicos de Medicina Geral e Familiar, entre outros, o evento, organizado pelo Departamento de Doenças Infeciosas do Insa, pretende também «promover o diálogo entre clínicos e profissionais de laboratório sobre a otimização do diagnóstico como medida de prevenção da aquisição e da transmissão das IST», destaca a nota à Imprensa. 

As jornadas visam ainda «espelhar a diversidade e o impacto para a saúde de diversas patologias causadas por microrganismos que se transmitem por contacto sexual».

O programa científico das jornadas prevê a realização de várias mesas redondas subordinadas aos temas «IST na Infeciologia», «IST na Obstetrícia e na Pediatria», «IST na Dermatovenereologia», «IST nos Cuidados de Saúde Primários», «IST na Urgência Hospitalar», «IST na Otorrinolaringologia», «IST na Gastroenterologia» e «IST na Ginecologia».

Embora exista legislação em Portugal que obriga à confirmação laboratorial de várias Infeções Sexualmente Transmissíveis, «não existem normas nacionais sobre os testes laboratoriais a usar para outras IST, mesmo as de notificação obrigatória», alerta o Insa

O comunicado lembra que apesar da existência de várias estratégias de saúde pública com vista ao controlo da disseminação das IST, a Organização Mundial da Saúde estima que «a maioria dos casos não seja diagnosticada e que seja tratada de forma sindrómica, sem qualquer diagnóstico laboratorial».

Os interessados em participar no evento deverão efetuar a sua inscrição até dia 19 de outubro através do preenchimento do seguinte formulário 

18tm37K
12 de Setembro de 2018
1837Pub4f18tm37K

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.