FDA reconhece qualidade das inspeções do Infarmed

19.09.2018

Reconhecimento irá contribuir para aumentar o volume de exportações nacionais
A Food and Drug Administration (FDA) reconheceu a capacidade e a qualidade das inspeções desenvolvidas pelo Infarmed.
Isto significa que a FDA deixará de realizar inspeções em Portugal e vai reconhecer os resultados associados às inspeções de boas práticas de fabrico de medicamentos feitas pela Autoridade Nacional do Medicamento, salienta o organismo num comunicado.

Além de evitar a duplicação de inspeções, «este reconhecimento irá contribuir para aumentar o volume de exportações nacionais para os Estados Unidos», destaca a nota à Imprensa, acrescentando que, de acordo com dados preliminares de 2017, «o valor das exportações das empresas portuguesas para os Estados Unidos foi de 55 milhões de euros, sendo este o país que lidera as exportações nacionais».

A resolução da FDA, enviada ao conselho diretivo do Infarmed, refere que «o Infarmed tem a capacidade, os meios e os procedimentos necessários para realizar inspeções de boas práticas de fabrico (BPF) que cumpram os requisitos da FDA».

Os produtos aos quais se aplica este acordo são, entre outros, os medicamentos de uso humano, medicamentos biológicos e os gases medicinais.

A FDA reconheceu a capacidade e a qualidade das inspeções desenvolvidas pelo Infarmed. Isto significa que a FDA deixará de realizar inspeções em Portugal e vai reconhecer os resultados associados às inspeções de boas práticas de fabrico de medicamentos feitas pela Autoridade Nacional do Medicamento 

Evitando as duplicações desnecessárias das inspeções, as autoridades nacionais vão poder concentrar esforços noutras atividades, «nomeadamente na produção de matérias-primas e medicamentos noutras regiões do globo», realça o comunicado

Esta decisão vai ser especialmente relevante para o tecido empresarial português, uma vez que «as empresas nacionais que sejam inspecionadas pelo Infarmed terão um reconhecimento imediato pela FDA, o que permitirá alavancar as exportações de medicamentos», salienta ainda o Infarmed.

18tm38i
19 de Setembro de 2018
1838Pub4f18tm38i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.