Esperança média de vida dos portugueses volta a aumentar

por Teresa Mendes | 28.09.2018

Homens vivem em média 77,74 anos e as mulheres 83,41 anos
 
A esperança média de vida dos portugueses voltou a aumentar.
Segundo as Tábuas de Mortalidade divulgadas esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no triénio 2015-2017, esta foi estimado em 80,78 anos para a população total, em 77,74 anos para os homens e em 83,41 anos para as mulheres, um ganho de 1,57 e de 1,22 anos, respetivamente, face aos valores de 2008-2010.

Já a diferença na esperança de vida à nascença de homens e mulheres diminuiu 0,35 anos, passando de 6,02 para 5,67 anos.

Quanto à esperança de vida aos 65 anos, esta atingiu os 19,45 anos para ambos os sexos, sendo que os homens de 65 anos de idade poderão esperar viver, em média, mais 17,55 anos e as mulheres mais 20,81 anos, o que representa um ganho de 0,81 e de 0,78 anos, respetivamente, face a 2008-2010. 

É na região Norte que se situaram os valores mais elevados da esperança de vida à nascença para o conjunto da população e para os homens, partilhando com a região Centro o valor mais elevado para as mulheres.  

A esperança média de vida dos portugueses voltou a aumentar. Segundo o INE o triénio 2015-2017 registou um valor de 80,78 anos para a população total, de 77,74 anos para os homens e de 83,41 anos para as mulheres, um ganho de 1,57 e de 1,22 anos, respetivamente, face aos valores de 2008-2010 

Em contrapartida, as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores são aquelas onde se observaram valores mais baixos, tanto para o total da população, como para homens e mulheres.

Segundo os dados do INE, a região Norte volta ao lugar cimeiro no que toca à esperança de vida aos 65 anos, apresentando os valores mais elevados para os homens. Já a Área Metropolitana de Lisboa regista os valores mais elevados para as mulheres.

O relatório está disponível na íntegra aqui 

18tm39T
28 de Setembro de 2018
1839Pub6f18tm39T

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.