Cancro do colo do útero pode deixar de ser um problema de Saúde Pública na Austrália

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 09.10.2018

Estudo publicado na The Lancet Public Health 
Se os atuais níveis de vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) e o rastreio oncológico para diagnóstico precoce se mantiverem, a Austrália deverá reduzir a incidência do cancro do colo do útero para menos de quatro novos casos por 100 mil mulheres até 2028, salienta um estudo publicado na The Lancet Public Health.

Num país onde a média é, atualmente, de sete doentes por 100 mil habitantes, a expectativa é chegar a um novo caso pelo mesmo número de mulheres até 2066.

Aliás, os autores do estudo divulgado no dia 2 de outubro – intitulado «The projected timeframe until cervical cancer elimination in Australia: a modelling study» - acreditam que «o cancro do colo do útero deverá deixar de ser um problema de Saúde Pública na Austrália nos próximos 20 anos».

Esta previsão está intimamente relacionada com o facto de aquele país ter sido um dos primeiros a introduzir a vacina para mulheres contra o HPV, em 2007, e com o alargamento da imunização aos rapazes - que podem ser transmissores do vírus - em 2013, bem como de eficazes programas de rastreio.

Se os atuais níveis de vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) e o rastreio oncológico para diagnóstico precoce se mantiverem, a Austrália deverá reduzir a incidência do cancro do colo do útero para menos de quatro novos casos por 100 mil mulheres até 2028

Os autores do estudo, que pode ser consultado aqui, tiveram como objetivo identificar os primeiros anos em que a incidência anual padronizada por idade do cancro do colo do útero na Austrália (que atualmente é de sete casos por 100 000 mulheres) poderia diminuir abaixo de dois limiares anuais considerados potenciais limiares de eliminação: seis novos casos por 100 000 mulheres ou quatro novos casos por 100 000 mulheres.

18tm41H
09 de Outubro de 2018
1841Pub3f18tm41H

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

21.05.2019

Há mais 60 mil portugueses sem médico de família desde o início de 2019

Desde o início deste ano que aumentou o número de portugueses sem médico de família. No final de 201...

21.05.2019

APMGF defende criação de mais 30 USF por ano

Criar mais 30 unidades de saúde familiar (USF) por ano em Portugal é uma das medidas do Projeto-Beta...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

«NBM in Ambulatory Surgery»  em destaque  no 13.º Congresso Internacional d...

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto vai receber, entre os dias 27 e 29 de maio, o 13.º Cong...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

1.º Barómetro da Adoção da Telessaúde e de Inteligência Artificial

Os resultados da primeira edição do Barómetro da Adoção da Telessaúde e de Inteligência Artificial,...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.